5 erros ao lavar suas roupas de ciclismo

Esses erros fazem suas roupas se desgastarem mais rápido. Veja como manter seu kit preferido como novo

Por Blane Bachelor, da Runner’s World

Ao voltar daquele pedal que lavou a alma, a maioria das pessoas simplesmente coloca as roupas de ciclismo suadas e pouco cheirosas no cesto de lavar roupa, onde ela pode esperar por dias até ir para a máquina de lavar. Nem imaginamos que isso pode estragar a roupa mais rápido, especialmente os tecidos mais tecnológicos. Conversamos com vários especialistas para descobrir a melhor maneira de cuidar dos seus cycling kits!

Erro 1: Não ler as instruções da etiqueta

EKATERINA79/GETTY IMAGES

Os fabricantes colocam na etiqueta as informações mais importantes, então é fundamental conferir antes de lavar pela primeira vez. “A maioria tem instruções especiais, como não usar água quente e alvejantes, então é importante conferir antes, porque roupas de ciclismo não são exatamente baratas”, diz Melissa Maker, especialista em organização doméstica e autora do livro “Limpando meu cantinho: o segredo para limpar melhor, mais rápido e amar sua casa a cada dia” (, no original, “Clean My Space: The Secret to Cleaning Better, Faster, and Loving Your Home Every Day”, não lançado no Brasil). Fabricantes recomendam atenção especial para as instruções sobre temperatura da água de lavagem. “Tecidos de alta performance não são desenvolvidos para suportar água quente, que fragiliza vários tipos de látex e de nylon”, explica. Na dúvida, use no máximo água morna.

Erro 2: deixar a roupa suja e suada por dias

RYAN MCVAY/GETTY IMAGES

No escurinho dos ambientes fechados e úmidos, as bactérias que causam aquele fedor insuportável fazem a festa. Se você deixa para lavar suas roupas de ciclismo dias depois, o odor vai impregnando nas roupas, principalmente em ambientes úmidos. A cientista da Microban Karen Welch explica porquê. “A umidade em um ambiente facilita o crescimento de micróbios, e quanto mais eles crescem e se reproduzem, mais odores eles liberam.”

De acordo com Lindsey Boyd, da empresa de produtos especiais para lavagem de roupas The Laundress, deixar suas roupas de ciclismo no cesto de roupa suja esperando a lavagem é a pior coisa que você pode fazer por elas. “Quanto mais você fizer, mais o odor vai impregnar e ficar difícil de sair”. Em outras palavras, as roupas vão pegar um “fedor permanente”. Sabe aquela peça que é só colocar eu já começa a ficar com cheiro ruim? Isso porque as moléculas do cheiro ruim não são muito solúveis em água, e a umidade do suor faz elas se espalharem no ambiente.

Boyd dá uma ótima dica se você não pode lavar assim que volta do pedal: pendure as roupas úmidas e deixe elas secarem antes de colocar no cesto até a hora de lavar. Esses minutinhos gastos pendurando as peças vão render na forma de roupas mais duráveis e sem cheiro no longo prazo.

Erro 3: Não usar detergente de boa qualidade

PETER GALBRAITH/GETTY IMAGES

Nos últimos anos, foram desenvolvidos detergentes específicos para roupas esportivas de alta performance. Esse tipo de produto tem ação bactericida mais específica contra os odores, além de evitar manchas, como aquelas que amarelam o tecido que fica contato com as axilas. Geralmente, os produtos contém enzimas na fórmula, que atacam diretamente os produtos que agridem os tecidos.

No mercado nacional, não existem ainda produtos desse tipo, e o substituto mais próximo seriam os sabões líquidos de boa qualidade, que não deixam resíduos. Esse tipo de produto já dá conta de roupas de treino mais básicas. Se você comprou peças de alta performance e quer que elas durem muito e tiver acesso a marcas americanas como HEX Performance, Tide e Nathan. Uma dica do corredor Jon Salas é fazer uma última lavagem com uma mistura de ¼ de xícara de bicarbonato de sódio com uma xícara de vinagre para combater a “nhaca” mais resistente. “Quando você combina esses na máquina de lavar, é um antibactericida natural barato, que limpa e protege suas roupas.”

Se suas roupas já estão com odor entranhado, resista à tentação de colocar mais sabão líquido que o necessário. “Só vai deixar as peças com mais resíduos de sabão dos agentes de limpeza e de perfume,” explica Drew Westervelt, da marca HEX Performance. “Esses resíduos também acabam virando comida das bactérias e fungos que produzem odor.”

Erro 4: Usar a secadora

RICK LOWE/GETTY IMAGES

Secadora danifica tecidos de alta performance, especialmente nas temperaturas mais quentes, porque rompe as fibras. Ao mesmo tempo, a secadora também pode encolher as peças. É o caminho mais rápido para destruir um top de alta sustentação ou qualquer roupa de compressão, como um bretelle. “Destrói a elasticidade da roupa”, diz Boyd. Bolsos e zippers também não combinam com secadora, sem falar que o calor é o ambiente ideal para as bactérias que possam ter resistido à lavagem se reproduzirem. Deixe as peças secarem naturalmente, à sombra. Demora mais, mas elas vão durar mais mantendo a performance.

Se você realmente precisar usar a secadora – o que muitas marcas permitem, segundo a etiqueta – use os ciclos de secagem mais delicados e frios. Bolas de secagem ajudam a fazer o ar circular e reduzem a eletricidade estática.

Erro 5: usar amaciante

DJEDZURA/GETTY IMAGES

Amaciante é ótimo para deixar toalhas e lençóis cheirosos, fofinhos e sem eletricidade estática, mas podem devastar e destruir suas roupas esportivas com o tempo. “O mais importante nas roupas esportivas é que elas são respiráveis. Os amaciantes fazem com que as fibras retenham umidade em vez de deixá-la passar”, explica Maker. Qual a solução? Vinagre. Ela recomenda colocar meia xícara a uma xícara na máquina de lavar, no lugar do amaciante. Ele age como um amaciante natural, sem danificar as peças, e ainda evita o mau cheiro causado pelas bactérias.