A mente no comando: 7 maneiras de superar os bloqueios mentais que te impedem de evoluir

Há alguns truques que ajudam a aumentar a motivação; para quem busca se superar no pedal

Foto: Pixabay (pexels.com)
Por  Danielle Zickl

Você pode estar na sua melhor forma física, mas se a mente não colaborar, o treino será bastante afetado.

Os bloqueios mentais que atravancam nossa performance atingem a todos em algum momento da vida, como explica Lani Lawrence, doutora em psicologia no programa de atletismo da University of Southern California, nos EUA. Ou seja, você não está sozinho nessa, meu caro. “É totalmente normal ter bloqueios mentais — a maioria dos atletas passa por isso”, diz Lani.

Esses momentos nos quais a mente tenta nos colocar para baixo costumam ser desencadeados por algum sentimento de derrota, segundo Lani. Isso pode acontecer por inúmeros motivos, como pressão, esgotamento físico e mental, estresse, ansiedade ou medo de experimentar (e falhar em) algo novo.

Mas que fique claro: um bloqueio da mente não é a mesma coisa que uma queda de motivação. Não sentir motivação para seguir a rotina de treinos até pode andar de mãos dadas com um bloqueio mental, mas as duas coisas não precisam estar necessariamente relacionadas. Por exemplo, você pode ter motivação para treinar subidas, mas, se estiver com um bloqueio mental de que não consegue melhorar nas pirambas, nenhum esforço vai adiantar. É preciso desbloquear a mente antes de continuar.

A boa notícia é que há alguns truques que podem ajudar a aumentar a motivação e a superar bloqueios mentais, segundo a psicóloga. Veja a seguir sete maneiras de voltar ao caminho certo, cheio de garra para superar as dificuldades e enfim expandir a performance:

1. Divida sua meta em partes menores

Foto: Roman Pohorecki (pexels.com)

Um dos motivos pelos quais nos sentimos muitas vezes derrotados pode ser o fato de termos nos imposto uma meta enorme demais. Digamos, por exemplo, que você queira riscar da sua lista de “coisas-para-se-fazer-antes-de-morrer” uma pedalada de 200 km. É bastante intimidador, não é? Em vez de tentar ir direito de 0 ao 200, Lani recomenda começar com distâncias menores e dividir a meta principal em uma série de partes alcançáveis, fazendo com que seja mais fácil lidar com cada uma delas, aos poucos.

“Como a gente faz para comer um elefante? Dando uma mordida de cada vez”, brinca a pesquisadora. O fato de dar uma mordida, depois outra aumenta a confiança — o que, por sua vez, aumenta o desempenho, explica ela.

Porém o que se deve fazer exatamente para definir objetivos menores? Para Lani, as metas devem ser específicas, mensuráveis, ajustáveis, realistas e limitadas ao tempo. Simples, prático e eficiente assim.

2. Repense seu ambiente de treino

Foto: Bruce Mars (pexels.com)

Você talvez tenha se matriculado em uma academia simplesmente porque parecia o jeito mais fácil de entrar em forma, certo? Mas, se não se sentir motivado a ir lá treinar, então é provável que seja a hora de mudar.

Lani recomenda que você pense sobre o tipo de ambiente no qual costuma se sentir e treinar bem. Talvez você se saia melhor em um lugar onde fique completamente sozinho, onde estejam só você e seu treinador ou com um grupo cheio de pessoas. Além disso, observe se você se sai melhor em um ambiente calmo e relaxante ou se precisa de algo mais estimulante.

É importante ter essa percepção e ser sincero consigo mesmo. Se o lugar ou estilo de ambiente não está te ajudando a treinar, é preciso partir para outra.

3. Questione a mente: pergunte o que te motiva

Foto: mentatdgt (pexels.com)

Se algo não está dando certo em seus treinos, pode ser hora de reavaliar a situação como um todo. O que você buscava originalmente? Você ainda quer a mesma coisa? Lani sugere que você se faça perguntas como: “Por que eu resolvi começar a praticar esse esporte ou começar a malhar?”; “Esses motivos mudaram?”; “Eu ainda me divirto fazendo isso?”; “Vale a pena experimentar um esporte novo?”.

Ao questionar seus motivos, você talvez perceba que o coração não está 100% dedicado ao seu esporte, o que poderia explicar por que você está tendo problemas. Algumas maneiras de reconhecer que as coisas não estão dando certo incluem se sentir irritado ou frustrado durante a atividade, sentir uma falta de energia generalizada ou ter pensamentos negativos durante o treino. E o que você pode fazer se perceber que não está mais feliz com seu treino? “Ter um plano B ou mesmo C pode ser muito benéfico para ‘persistir nas adversidades’ e progredir se houver um contratempo”, afirma Lani. Em outras palavras, redirecione sua energia para descobrir o que mais você quer experimentar e vá em frente.

4. Imagine seu sucesso…

Foto: Bruce Mars (pexels.com)

Vamos supor que você esteja encarando subidas pequenas há algum tempo e ache que está pronto para tentar algo mais difícil. Porém você tenta melhorar repetidamente, sem sucesso. Nesse caso, seu bloqueio mental pode estar no nervosismo e na ansiedade em falhar por não conseguir chegar ao seu melhor. Para superar a dificuldade, Lani sugere que você se imagine dominando os movimentos de seu esporte em cada detalhe, como a pedalada e a respiração. “Imagine o que você quer conquistar e faça o cérebro se lembrar de como é isso”, recomenda.

5. … Mas não tenha medo de falhar

Foto: Darcy Lawrey (pexels.com)

Ok, você imaginou o sucesso. Mas, por outro lado, você não deve ter medo de falhar algumas vezes. Se tudo fosse fácil, o sucesso não teria um gosto tão bom. Não conseguir melhorar nas primeiras tentativas vai acabar te deixando mentalmente mais forte porque vai te obrigar a dar um passo para trás e pensar no que você pode melhorar da próxima vez, como explica Lani.

E se você falhar? Reavalie as metas e mentalize o sucesso.

6. Concentrar-se no agora é a lucidez da mente

Foto: Artem Bali (pexels.com)

Segundo a American Psychological Association, a prática da atenção plena — ou conscientização — pode resultar em “melhora da concentração e na lucidez mental”. Lani concorda e diz aos atletas que ela treina que a atenção plena é um importante aspecto da superação de quaisquer bloqueios mentais. “Aprenda a relaxar e a viver no presente”, recomenda. “Não fique ansioso quanto ao possível resultado de não ter sucesso.” Pensar negativamente só promove o bloqueio mental.

“Se seu melhor amigo ficasse do seu lado durante o treino dizendo que você não consegue fazer nada direito, você iria querer continuar essa amizade? Nós, seres humanos, reagimos melhor a palavras de inspiração e estímulo. Em vez de ensaiar o que estamos fazendo de errado, nosso tempo e energia serão mais bem gastos se focarmos no que podemos fazer para consertar as coisas.”

7. Fale com um profissional

Foto: Pixabay (pexels.com)

Saiba quando procurar ajuda externa, recomenda Lani. Isso pode acontecer quando você tentou tudo em que podia pensar para encontrar uma solução para o problema, mas ainda não está vendo resultados. “Pedir ajuda a um treinador ou mesmo psicólogo do esporte pode render grandes resultados”, afirma ela.

Um profissional pode te ajudar a desenvolver estratégias para melhorar a concentração, aumentar a confiança e lidar com revéses.