Alejandro Valverde já era favorito a conquistar o mundial de ciclismo

Com o título, Valverde é o segundo campeão mundial de ciclismo de estrada mais velho da história

Alejandro Valverde
Alejandro Valverde chora pela conquista do mundial (Foto: ©SWPix via UCI.org)

Aos 38 anos de idade, o espanhol Alejandro Valverde conseguiu finalmente conquistar algo que ele perseguia há 15 anos: o campeonato mundial de ciclismo de estrada.

Na Áustria, na prova de 259,4 km entre Kufstein e Innsbruck, Valverde foi o melhor no sprint final, disputado entre ele (que terminou em 6h46min41), o francês Romain Bardet (o segundo colocado), o canadense Michael Woods (o terceiro) e o holandês Tom Dumoulin (o quarto).

Mas apesar de Valverde ter sido o segundo campeão mundial de ciclismo de estrada mais velho da história, ele não surpreendeu os especialistas em ciclismo, que vinham acompanhando sua trajetória nesta temporada. Apesar de estar quase na casa 40, o espanhol ainda é um dos ciclistas mais fortes e completos da atualidade! E talvez a experiência tenha finalmente contado a seu favor.

Leia também: Brasileiro Henrique Avancini é campeão mundial de MTB

Valverde já foi medalha de prata por duas vezes e de bronze por quatro vezes em Campeonatos Mundiais passados.

E mesmo não tendo sido campeão de nenhuma das três Grandes Voltas nesta temporada, ele foi muito equilibrado. Foi o quinto na classificação geral na Vuelta a España (sendo que venceu na classificação por pontos) e o 14º no Tour de France.

Apesar de ter perdido provas em que era favorito, como a Liège-Bastogne-Liège, Valverde venceu o Abu Dhabi Tour e a Volta a Catalunya, além de duas etapas da Vuelta a España. Com isso, ele está entre os maiores ciclistas recordistas em vitórias da história de seu país – agora tem apenas duas vitórias a menos do que o lendário Txomin Perurena.

Alejandro Valverde no Mundial

Até chegar ao sptint final contra ciclistas sobre os quais tinha vantagem, Valverde deixou para trás durante a prova seus principais rivais, como Julian Alaphilippe, Adam Yates e Vincenzo Nibali. Todos já sabiam que Peter Sagan, qua pedalava pelo tetracampeonato, dificilmente teria chances de vencer em um percurso tão montanhoso quanto este na Áustria.

Para Mikel Zabala, treinador da equipe Movistar, equipe pela qual Valverde pedalou nas últimas seis temporadas, o espanhol campeão do mundo conseguiu finalmente aliviar tantos anos de pressão por finalmente conseguir o que ele queria. “Foi um pouco por isso também que Valverde chorou ontem em Innsbruck”, acredita Mikel.