As bikes mais legais de 2019!

Fizemos uma seleção de bikes e equipamentos para você que está pesando em dar um upgrade no pedal

Audax Auge 40: Leveza e rigidez na medida

A seguir, uma seleção das bikes mais bacanas, além de capacete, sapatilha, jersey e afins, para você começar 2019 com tudo – e  pedalar mais do que nunca.

Caloi Elite Carbono Team

R$ 22.000 | caloi.com.br

Desde que lançou sua linha Elite de mountain bikes, a Caloi tem aprimorado, ano a ano, modelos que já são referência em bom custo-benefício. Nas versões 2019, a marca traz novidades bem atualizadas com as tendências do MTB e aposta suas fichas na opção top, a Elite Carbon Team. Por trás do visual moderno e totalmente renovado (com um detalhe “retrô” na logomarca), a bike em quadro full carbon vem com transmissão única de 12 velocidades Shimano XTR e suspensão Fox Factory 32. Topo da cadeia de modelos de entrada (R$ 5.500) e intermediária (R$ 8.900), será a máquina usada pela equipe de elite Caloi Avancini Team na temporada 2019.

Garmin Fenix 5 Plus

R$ 4.300 | garminstore.com.br

Este modelo da linha de smartwatches Fenix 5 Plus, da Garmin, chamou a atenção em nossa bateria de testes por sua robustez, com tela colorida de 1,2 polegada e resolução de 240 x 240 pixels. Para quem já está acostumado a usar a família Edge da Garmin, é fácil o emparelhamento do relógio, com o aplicativo do celular Garmin Connect. Por estar constantemente preso ao corpo, o Fenix 5 Plus capta uma série de informações que, segundo a marca, ajuda a aprimorar nosso treinamento e estilo de vida. Pode apresentar muitas dessas métricas em gráficos contendo dados como, por exemplo, a frequência cardíaca das últimas 24 horas. Isso ajuda a entender melhor não apenas a performance de nosso corpo como sua recuperação ao longo do dia e da noite. Essa é a grande diferença para quem está acostumado a usar um Edge preso na bicicleta e que só capta informações de sensores durante o treino. Há informações como nível de estresse e volume de oxigênio no sangue. Ou ainda as zonas de treinamento em tempo real (ao calibrar seu FTP de tempos em tempos de acordo com seu VO2 máximo). Para que precisamos de tantos dados? Sinceramente, não sabemos a resposta – e, para falar a verdade, não nos sentimos tão confortáveis com tantas medições. Mas há quem curta. O Fenix 5 Plus ainda permite armazenar 500 músicas e faz pareamento com fones de ouvido bluetooth. A Garmin fez uma parceria com a Spotify, permitindo ouvir músicas diretamente da plataforma.

Cannondale FS-I Carbon 5

R$ 13.000 | cannondale.com/pt-BR

Se mountain bike é coisa séria para você e está buscando uma bike com mais recursos, a nova FS-I Carbon 5 merece ser levada em consideração. Não é fácil achar uma com posição assim nessa faixa de preço (ainda mais com o dólar nas alturas). Milimetricamente pensada para eficiência em trilhas de pegada cross-country, marca apenas 10,8 kg na balança, graças ao seu quadro em carbono e às ótimas escolhas de componentes: relação SRAM NX Eagle (12x), suspensão Rock Shox Reba RL (curso 100 mm) e freios Shimano MT500 Hydro Disc, acompanhados de rodas DT Swiss Champion e pneus Schwalbe Racing Ray Performance 29. Só de bater o olho já dá vontade de girar por aí. É para clipar a sapatilha e acelerar!

Sapatilha de ciclismo B’twin Road 500

R$ 400 | decathlon.com.br

A B’twin, marca de artigos ciclísticos da gigante francesa Decathlon, é uma baita mão na roda em tempos de crise econômica. Faz produtos bons, baratos, eficientes e – o melhor – a preços super em conta. Não são, claro, artigos top de linha – nem a B’twin se propõe a isso. Contudo a Decathlon desenvolve suas criações com enorme seriedade (como nossa equipe já comprovou pessoalmente na sede da marca em Lille, na França). Em meio a uma leva de sapatilhas caríssimas que ultrapassam os R$ 1.500, palmas para esta aqui de amigáveis R$ 400, ótima pedida para quem está começando a treinar na estrada. Sua sola é em nylon rígido, para evitar dissipação de força à toa, com duas aberturas de ventilação que permitem a entrada e saída de ar. No interior, há uma malha de rede 3D, que ajuda na secagem mais rápida. O sistema de fechamento é por meio de três velcros. Preta, básica, cumpre seu papel com louvor.

TSW TR 20 S Speed

R$ 2.900 | tswbike.com

Porta de entrada para o ciclismo de estrada, a linha 2019 dos modelos de estrada da brasileira TSW traz um dos mais baixos custos no mercado nacional. Antes de você chegar ao ponto de não abrir mão de ao menos um garfo de carbono (ou de um grupo mais potente), bikes mais acessíveis como esta aguentam boa rodagem para quem precisa somar quilômetros antes de dar os próximos passos. O quadro de alumínio vem equipado com relação Shimano Claris.

Cannondale SuperSix Evo Carbon Ultegra

R$ 16.000 | cannondale.com/pt-BR

Uma boa bike de estrada começa com a eficiência para responder aos nossos comandos, segue com o conforto nas longas distâncias e a agilidade naquela hora em que a única coisa que importa é acelerar. A SuperSix Evo de carbono entrega tudo isso e ainda surpreende pela suavidade da pilotagem e excelente aerodinâmica – você vai ter certeza disso nos sprints e nas descidas. Sua construção também traz uma microssuspensão, muito bem-vinda para estradas com asfalto gasto e trepidações. Representante da faixa intermediária da linha SuperSix, que chega até os modelos competitivos de elite, ela pesa honestos 7,9 kg, é movida por componentes Shimano Ultegra e desliza sobre rodas Fulcrum Racing Sport e pneus Vittoria Zaffiro Pro Slick (700×25).

Mala Trek Segafredo Team

R$ 650 | trekbikes.com.br

Quem costumar ir de carro até o ponto de encontro para o início do pedal já passou por isso: você joga tudo numa mochila e, quando chega ao local, percebe que esqueceu o capacete. Ou a luva. Ou a sapatilha. Já vimos ciclistas que, cansados de passar por esse perrengue, compraram caixas de plástico transparente para deixar tudo à mostra no porta-malas. Esta mala da Trek é uma bênção, toda dividida em compartimentos pensados 100% para quem pedala. Tudo com o devido nome do equipamento ou vestuário ao lado do zíper. Há espaço para o capacete, um bolso forrado para os óculos, outro para as luvas, um adicional para a jaqueta, e por aí vai. Na base da sacola, a mala conta ainda com um fundo, também fechado por zíper, para levar a sapatilha. é feita de material levíssimo, e seu design não ocupa espaço no carro – outra maravilha para quem precisa levar bike, bomba de pé e, quase sempre, aquele amigo sem carro. Testamos e garantimos: seus pedais nunca mais serão aquela bagunça!

Trek Émonda SL 7 Disc

R$ 36.000 | trekbikes.com/br

Das três “famílias” de bikes de estrada da norte-americana Trek (Domane, Madone e Émonda), a Émonda é a que mais preza pela relação entre leveza e performance. Esse viés passa pela escolha minuciosa de materiais, peças e montagens. O resultado impressiona: são bikes como a SL 7 Disc, um legítimo modelo de competição de altíssimo nível, turbinado com um sistema eletrônico de transmissão Shimano Ultegra Di2. O suposto “peso extra” dos freios a disco hidráulicos acaba compensado no conjunto da obra, com quadro e rodas de carbono ultraleves. Além disso, a escolha do tipo de frenagem garante mais segurança e desempenho em condições variadas de clima e terreno.

Sense Intensa

R$ 4.490 | sensebike.com.br

No embalo do crescente número de mulheres nas trilhas, a Sense criou uma nova linha de mountain bike. A Intensa é bem semelhante à Impact, modelo de entrada da marca que prioriza o conforto e já flerta com o desempenho – as “iscas” perfeitas para formar novas apaixonadas pelo mountain bike. Mas não pense em um simples modelo de entrada. A Intensa já chega com potencial para se tornar uma fiel e duradoura parceira de pedal. Sua geometria traz uma boa dose de performance e foi pensada nas medidas e nos pontos de contato de bikes femininas. O selim Selle Royal Ladies, o cabeamento interno e o grupo Shimano Alivio (com sistema Side Swing de acionamento superfluido) compõem muito bem o modelo, que entrega o que promete – e um pouco mais pelo seu preço camarada para um modelo desse nível.

Scott Scale 980

R$ 8.300 | scott.com.br

Para encarar trilhas pesadas, nada melhor do que uma hardtail que te faz sentir leve sobre o selim. Essa sensação é marcante na Scale 980, uma bem equilibrada mountain bike concebida para gerar um mix de velocidade e segurança. Pode apostar nela na hora de encarar subidas ou exigir agilidade nas descidas – pesa 12,6 kg com quadro em alumínio. A capacidade de aceleração e tomada de decisões de quem estiver no comando são facilitadas pelo acionamento remoto das funções de suspensão e pelo eficaz grupo SRAM NX Eagle de 12 velocidades em coroa única.

Capacete Bontrager Circuit MIPS

R$ 850 | trekbikes.com.br

O sistema de proteção contra impactos MIPS veio mesmo para ficar. Sigla para o termo em inglês Multi-directional Impact Protection System, trata-se de uma tecnologia que permite que o capacete deslize suavemente pela cabeça na hora de uma queda ou batida, protegendo de forma mais eficiente o crânio em caso de acidentes. Além desse sistema, o capacete da Bontrager, marca de renomada Trek, chamou a atenção de nossa equipe pelo visual elegantíssimo. Gostamos especialmente da versão em preto fosco, porém há ainda opções em rosa-choque e amarelo high-viz. Feito para ciclismo de estrada, pesa 300 gramas no tamanho M e possui sistema de ajustes na cabeça feito por meio de uma confiável fivela Boa. Conta com forração antibacteriana e suportes magnéticos para iluminação e também outro para a instalação de uma action cam. Em nossos treinos, o capacete se mostrou ventilado, leve e – para nós, vaidosos – bem bonito de se usar.

Specialized Epic Expert EVO

R$ 39.000 | specialized.com/br

Projetada para alto desempenho mesmo em trilhas extremamente técnicas, a Epic Expert EVO segue o caminho da performance via estabilidade e tração. Novas escolhas como aumentar o curso de suspensão (120 mm) e a grossura e espaçamento para os pneus (2,3’’) combinam com outros ajustes de geometria em um desenho já bastante inteligente e agressivo. Isso a deixa ainda mais “afiada” para desafios em longas trilhas e/ ou jornadas de vários dias seguidos – tudo com a ajuda da transmissão top SRAM GX Eagle (12x). Esse ótimo balanceamento de uma máquina incrível para girar em terreno desafiante, competindo ou não, dá a ela status de referência em “diversão de gente grande”. Para 2019, há também as versões Comp EVO (R$ 21.000) e Pro EVO (R$ 46.500).

Groove Slap 70

R$ 12.000 | groovebikes.com.br

Uma full robusta e confiável. É assim que a nova Slap 70 da Groove se destaca entre os lançamentos nacionais, avançando bem em comparação aos modelos anteriores na relação ciclista-bike-terreno. Projetada para encarar trilhas cross-country, ela pode não ter todos os recursos de uma full top de linha, mas certamente é um coringa para quem busca uma opção duradoura e com ampla gama de uso. Seus 14 kg são mesclados entre um quadro mais pesado (em alumínio) e peças excelentes para sua faixa de preço: grupo SRAM NX Eagle (12x) e conjunto de amortecimento Rock Shox Recon RL Tapered/Monarch RT3.

Audax Auge 40 XO Eagle

R$ 19.000 | audaxbike.com.br

A precisão chama a atenção na Auge 40, desenhada com mantas de fibra de carbono que agregam leveza e rigidez na medida certa, além de um aspecto competitivo. É uma das grandes apostas da nacional Audax para a linha 2019. Repare na caixa de direção e no guidão integrados, convidando para o ataque. O perfil ligeiro é um dos trunfos de uma mountain bike montada com componentes top, caso da transmissão SRAM XO Eagle de 12 velocidades e da suspensão FOX Float Performance 32 Air. Traz ainda rodas FSA Afternurber e pneus Continental 29 (2,2”). O preço é alto, porém ainda assim abaixo de rivais semelhantes.