Bicicleta é tema de exposição de arte na Califórnia

Mostra na SDSU Downtown Gallery vai abordar as relações entre artistas e bicicletas

"Diferenças Irreconciliáveis", de leonardogillesfleur

Desde que foi inventada, há mais de 200 anos, as bicicletas sempre serviram de inspiração para criações artísticas. Atualmente as bikes estão artisticamente muito bem representadas na exposição de arte coletiva I Love to Ride My Bicycle, que reúne obras de 13 artistas na galeria SDSU Downtown, em San Diego, Califórnia.

Quantas músicas sobre bicicleta que você conhece? Além disso, Pablo Picasso incorporou as bikes em suas obras, e LeRoy Neiman deu um tom vívido aos ciclistas em movimento.

Isso ainda pouco.

“Além da importância histórica da bicicleta, pedalar é uma atividade que inspira a criatividade. Andar de bicicleta é muito divertido”, diz o artista australiano Shaun Gladwell. “Além disso, é muito como acordar, comer e respirar… Não consigo me lembrar, ou sequer imaginar, a vida antes de andar de bicicleta.”

Já Lana Z Caplan está mais interessada na relevância cultural das bicicletas. “O objeto físico é menos importante para mim do que a forma como o dispositivo físico revela um sistema cultural, com um significado social que varia muito de um lugar para outro”, diz.

Leia também: “Ciclismo zen” também é uma arte

“Meus melhores passeios de bicicleta são sempre experiências sublimes; seja um longo pedal ou uma rota diferente para o trabalho no início da manhã ”, diz o artista Peter Scheidt. “Pode ser desafiador, absorvente, divertido, exaustivo e sentir vontade de voar ao mesmo tempo. Bicicleta é liberdade ”, ele define.

“Nossa Senhora com Triciclo”, de Kristen Morgin
Exposição de arte I Love to Ride My Bicycle

Peter, Lana e Shaun são três dos 13 artistas desta exposição de arte I Love to Ride My Bicycle (que será aberta no dia 15 de novembro e vai até o dia 27 de janeiro). A curadora, Tina Yapelli, quis levar quis levar o tema para outro nível, mostrando artistas contemporâneos que não são apenas inspirados pela bicicleta, mas que trabalham com ela, seja materialmente ou de modo figurativo.

“Há tantos artistas em todo o mundo que trabalham com imagens de bicicletas ou bicicletas como objetos [e Ai Weiwei talvez seja o mais famoso deles]. Ou usando peças de bicicletas. Realmente, meu desafio não foi encontrar artistas, mas tentar restringir minhas escolhas ”, disse Tina em reportagem para o site San Diego City Beat.

Uma das instalações de Lana é um vídeo em loop chamado “Bem-vindo a Suzhou”, onde o espectador, pedalando, interage com o vai e vem da cidade chinesa. Neste caso, a bicicleta faz parte da “paisagem urbana”.

Seja lá qual for a intenção do artista, esta exposição, segundo Tina, pretende compartilhar a paixão de cada artista pela bicicleta.