Ciclista é expulso de prova profissional por assédio sexual

O belga Iljo Keisse agiu de forma inapropriada durante uma foto com uma garçonete

Gesto polêmico: Iljo Keisse,, que não agiu normalmente na Vuelta a San Juan (Foto: Getty Images)

No final da semana passada, enquanto treinava para a prova Vuelta a San Juan, que está acontecendo na Argentina, o ciclista profissional belga Iljo Keisse exibiu um comportamento extremamente anormal – e está pagando o preço com uma acusação de assédio sexual contra ele.

A polícia fichou Keisse por assédio sexual depois que ele simulou um ato sexual com uma garçonete desavisada enquanto posava para uma foto. Ele foi multado nesta semana em 3.000 pesos (cerca de R$ 300), e já teria pago. Mas na terça-feira os organizadores da corrida o expulsaram da prova.

Keisse, de 36 anos, pediu desculpas por sua conduta, embora tenha negado ter tocado fisicamente na garçonete. E agora, o técnico da equipe Deceuninck-Quick Step está ameaçando tirar a equipe inteira da corrida por causa da expulsão de Keisse.

A foto polêmica e o assédio sexual

O episódio aconteceu na sexta-feira, quando Keisse e alguns colegas de equipe pararam em um café em San Juan, uma pequena cidade no oeste do país onde acontece esta corrida por estágios. A garçonete, que permanece anônima, perguntou se ela poderia tirar uma foto com os atletas. Mas quando a foto foi tirada, Keisse, em pé atrás dela, fingiu um ato sexual. Segundo ela disse à polícia, ele também roçou seu órgão genital no corpo dela.

“Pedi uma foto e senti que eles foram receptivos”, disse a garçonete ao jornal Telesol Diario. “Achei que tinha sido acidental, mas depois percebi que não foi nada disso.”

Então depois de ver a foto, ela contatou um advogado e foi à polícia para apresentar uma queixa contra Keisse. “Estou muito zangada”, disse ela. “Eles me desrespeitaram; eu estava trabalhando.”

Leia também: Colômbia: destino certeiro dos ciclistas

Apesar dos pedidos para sua expulsão, Keisse – cujo companheiro de equipe, Julian Alaphilippe, atualmente lidera a Vuelta – ainda estava determinado a correr. Na terça-feira ele admitiu que fizera um gesto inadequado na foto e fez um pedido público de desculpas à garçonete, embora tenha negado tê-la tocado.

“Eu gostaria de me desculpar, especialmente com essa senhora. Eu cometi um erro, eu sei disso. Isso não vai acontecer novamente ”, disse Keisse. “Eu também quero me desculpar com todo mundo aqui… Foi uma coisa muito estúpida. Eu gostaria de poder voltar no tempo, mas não posso.”

Keisse foi expulso logo depois da terceira etapa da Vuelta a San Juan. Mas sua equipe, que vem conseguindo excelentes resultados na competição, não recebeu a notícia de forma amistosa.

Patrick Lefevere, gerente do Deceuninck-Quick Step, disse aos repórteres que gostaria de tirar toda a equipe da corrida, apesar das vitórias de Alaphilippe até o momento. “Se dependesse de mim, deixaríamos a Vuelta a San Juan”, disse Lefevere ao jornal belga Het Laatste Nieuws.