Ciclista suíça é obrigada a parar ao pedalar mais rápido que os homens

Nicole Hanselmann liderava uma prova na Bélgica, mas acabou terminando em 74º

Nicole, inconformada (Foto: Velofocus via Instagram Nicole Hanselmann)

A Omloop Het Nieuwsblad, uma prova de ciclismo de estrada na Bélgica, foi arruinada depois que a líder feminina, a ciclista suíça Nicole Hanselmann (Bigla Pro), alcançou o pelotão dos competidores homens. As mulheres haviam largado 10 minutos depois dos homens.

Nicole protagonizou uma fuga e abriu quase dois minutos do pelotão das mulheres. Mas ela foi interrompida pela organização, que neutralizou a competição feminina a fim de restaurar a lacuna entre os dois grupos (masculino e feminino).

>> Um selim criado especialmente para as mulheres

Quando autorizada a retomar, a ciclista suíça abriu outra fuga do pelotão feminino, mas foi neutralizada dessa vez. E ela acabou em 74º lugar.

“Foi um pouco triste para mim, porque eu estava bem, e quando você se vê obrigada a parar, suas adversárias veem isso como motivação para alcança-la novamente”, disse Nicole ao site Cyclingnews. “Eu já podia ver as ambulâncias da competição masculina”, completou. Para as mulheres não precisarem ultrapassar o tráfego dos veículos de apoio dos atletas masculinos, a organização decidiu por paralisar a prova feminina.

“Ficamos paradas entre cinco e sete minutos, e isso acaba com suas chances”, disse a ciclista suíça, inconformada.

A competição feminina acabou sendo vencida pela holandesa Chantal Blaak (Boels-Dolmans). Posteriormente, Nicole escreveu em um post no seu Instagram que “talvez ela algumas mulheres estivessem pedalando muito rápido, ou os homens estivessem muito lentos.”

Seus seguidores, claro, reprovaram a atitude da organização e escreveram palavras de incentivo à ciclista. Para eles, a situação foi mais uma “metáfora do patriarcado”. “Será que o mesmo teria acontecido se as mulheres tivessem começado primeiro?”, questionaram.