Copenhague quer se tornar a primeira capital “carbono neutro” do planeta

A capital da Dinamarca mira ser o maior exemplo mundial de “cidade limpa” até 2025

Em Copenhague você vê pessoas se locomovendo de bicicleta o dia inteiro (Foto: Getty Images)

Se mais de 70 cidades do mundo firmaram um acordo para acabar com a dependência de combustíveis fósseis do mundo até 2050, a capital da dinamarquesa, Copenhague, quer fazer isso ainda nos próximos sete anos.

Conhecida por facilitar o uso de energia eólica, do transporte público eficiente e, claro, da bicicleta, Copenhague tem cerca de 600 mil habitantes, com uma média de uma bicicleta por pessoa.

Leia também: Velo-City 2018, cidade para as pessoas

Copenhague: o exemplo que parte de casa

Segundo Jørgen Abildgaard, diretor do programa climático da cidade, Copenhague quer mostrar que é possível fazer mudanças positivas ao meio ambiente, para firmar o Acordo de Paris de 2015, sobre mudanças climáticas, o quanto antes.

Dessa forma, Copenhague quer se tornar a primeira capital do mundo capaz de neutralizar toda a produção de carbono até 2025. Além de 375 km de ciclovias, a cidade é alimentada por turbinas eólicas que geram boa parte da energia que é consumida.

Incentivar cada vez mais o uso de transporte e energia limpas é o que a capital e a maior cidade da DInamarca mira para os próximos sete anos. A meta é que a cidade passe a não produzir mais carbono do que ela conseguirá compensar de alguma outra forma.

“Queremos ser 100% carbono neutro em 2025”, disse Abildgaard à Fundação Thomson Reuters. “Mas se estivermos 95% ou em torno disso, ainda é um grande sucesso”, completou.