Depois de polêmica, Liège-Bastogne-Liège e Flèche Wallone femininas serão transmitidas ao vivo

Anna van der Breggen, no Giro Rosa de 2019. Imagem: divulgação/ Boels-Dolmans

Graças à uma polêmica e discussões públicas, as clássicas de primavera Liège-Bastogne-Liège e Flèche Wallone femininas serão transmitidas ao vivo em 2020.   

Ano passado, a organizadora das provas, a ASO (Amaury Sport Organisation) se recusou a negociar transmissão televisiva das provas femininas, apesar do pedido da UCI de que todas as provas femininas do World Tour tivessem transmissão. Será a primeira vez na história que elas terão transmissão ao vivo. 

+ Tour Down Under nivela valor do prêmio para prova masculina e feminina
+ Elas pedalam mais do que você

A decisão de não transmitir as provas femininas foi criticada pela vencedora da Flèche Wallone, Anna van der Breggen, quando ela venceu pela quinta vez seguida a prova – algo sem precedentes. 

Depois da edição de 2019, a ASO disse que não poderia providenciar a transmissão dos 45 minutos exigidos de cobertura para 2020 também, alegando que havia uma posibilidade de que as duas provas saíssem do calendário do Women’s WorldTour. A ASO organiza também provas como o Tour de France, Paris-Roubaix e Paris-Nice.   

Contudo, ao anunciar as rotas das provas desse ano sob sua organização, a ASO confirmou que as corridas femininas serão transmitidas ao vivo. Os melhores momentos da prova estarão disponíveis online logo depois da prova. 

A Flèche Wallone Femmes, com duração de 124km e chegada no Mur de Huy, uma íngreme subida de 19% de inclinação e 204 metros, será transmitida ao vivo em 22 de abril, com cobertura da Eurosport International. Ano passado, a cobertura ao vivo da Flèche Wallone foi apenas da chegada, com transmissão da subida final do Mur de Huy.

Liège-Bastogne-Liège Femmes, em 26 de abril, terá 136.5 km e passa pela Côte de La Redoute e pela Côte de la Roche-aux-Faucons. A prova será transmitida ao vivo na Europa pela Eurosport, com melhores momentos disponíveis online no fim da prova. 

“É uma das nossas maiores provas, junto com a Liège. Tínhamos câmeras pelo percurso todo, é uma pena que só a chegada foi transmitida, porque a batalha de verdade foi bem antes disso”, disse Anna van der Breggen, da Boels-Dolmans, ao conquistar sua quinta vitória consecutiva da Flèche Wallonne. 

+ Greg van Avermaet e Anna van der Breggen recebem prêmio de campeões mundiais UCI
+ Uma breve história da roupa de ciclismo feminina