“Do começo ao recomeço”: por que Érick Bruske é uma inspiração

2018 foi um ano de muita luta e recuperação para o catarinense Érick Bruske, que agora dá palestras motivacionais

(Foto: Foto: @leticia_coura)

No começo de 2018, o mountain biker catarinense Érick Bruske sofreu um grave acidente enquanto treinava na estrada: ao pedalar sua bike de estrada pelo acostamento, ele viu o eixo de um caminhão que passava ao seu lado se soltar, e a roda do veículo o atingindo em cheio.

Foi tudo muito rápido, e não deu tempo para nada. Resultado: fratura séria de fêmur. “Foi uma fratura exposta, o bretelle ainda ajudou a segurar o osso”, recorda. (Leia mais AQUI)

“Mas minha recuperação começou no momento em que os bombeiros me colocaram na maca e disseram ao meu pai: ‘Ele fraturou o fêmur’”, disse Érick durante a apresentação dos atletas da Specialized para 2019, em São Paulo.

Aos 22 anos – recém-completados –, Érick Bruske ainda mantém o alto nível no pedal, e por isso mantém o patrocínio da Specialized. Em sua carreira, ele já soma 5 títulos nacionais no MTB cross-country, além de conquistas no ciclismo de pista e contrarrelógio.

Érick Bruske: Do começo ao recomeço, uma palestra motivacional

E se ele já era uma experiência estimulante antes do acidente – protagonizando inclusive o curta Making My Own Path (assista abaixo) –, Érick voltou mais inspirador do que nunca.

“Agora dou palestras para ciclistas (Do Começo ao Recomeço), em que conto a minha trajetória no mountain bike e todo o meu processo de recuperação.” E a recepção tem sido das melhores, ele garante.

Depois de passar por uma cirurgia para a colocação de uma placa no fêmur, Érick só foi subir na bicicleta novamente três meses depois – e para pedalar no rolo. “O osso ainda não estava totalmente calcificado”, explica.

Em outubro, depois de um dedicado processo de recuperação, Érick Bruske participou da Brasil Ride, na Bahia. E no em que a prova bateu o recorde de competidores profissionais nível UCI, ele conseguiu um heroico 11º lugar – competindo em dupla com João Paulo Firmino.

“Meu técnico disse apenas para eu fazer a prova sem pressão, e assim eu fui”, conta. “Só que, horas antes da largada, eu senti um mal estar muito forte.”

Com foco e otimismo, Érick conseguiu contornar a indisposição e, no final da competição, se sentiu muito feliz com o resultado. “Minha intenção era apenas voltar às competições e pegar experiência em provas de ultramaratona, então superei todas as minhas expectativas”, garante.

Atualmente, Érick está com seu calendário para 2019 definido, e deverá ter bons resultados novamente. Como integrante do time Specialized de 2019, sua missão é também dar apoio ao jovem colega Alex Malacarne, de 16 anos e grande revelação do mountain bike.

Além disso, ele pretende, sempre que possível, continuar inspirando outros ciclistas com sua incrível história de fé e superação através das palestras motivacionais. Com humildade e simpatia, ele certamente ainda pode conquistar muita coisa fora das pistas de mountain bike. E nós, só temos a agradecê-lo.