Dormência e formigamento nos pés? Veja como lidar

Michael Nystrom é finisher de dois IRONMAN e ex-editor da Active Network, Muscle & Performance e da revista Oxygen

Dormência e formigamento nos pés
Imagem Shutterstock

Dormência e formigamento nos pés não é um problema para ciclistas só no inverno. Começa com um formigamento ou sensação de agulhadas nos pés. Você pedala, pedala, e não melhora. Não importa se você está começando ou se já tem horas de sobra no selim, é bem provável que já tenha passado por isso. Às vezes, o pé todo chega a ficar dormente, causando muito desconforto e até dor, especialmente em pedais longos. Infelizmente é um problema comum para ciclistas. 

Causas de dormência e formigamento nos pés

De acordo com Scott Holz, gerente global da Programa de Componentes da Universidade da Specialized e especialista em bike fit, dormência nos pés e dedos do pé costuma ter duas causas: compressão dos nervos e restrição da circulação.

Muitos fatores podem causar compressão nos nervos, incluindo “posição do clipe, suporte excessivo ou insuficiente do arco plantar, sapatilhas apertadas ou estreitas demais ou posição inadequada no pedal”, diz Holz. Ele já viu casos de clipes longos demais para a grossura da sola do calçado, incomodando o pé do ciclista e causando dormência. 

+ Lenda do bike fit da Specialized se aposenta
+ 5 dicas para saber se seu bike fit está perfeito
+ Como dar dicas de bike sem ser um chato 

Sua postura também pode impactar no problema. “Quando você está na bike, tem muito estresse na lombar e na pelve. Boa parte da dormência nos pés de ciclistas está relacionada ao pinçamento de nervos na lombar e nas costas”, diz Mark Gallagher, podólogo no Pure Sports Medicine em Kensington, no Reino Unido. 

“Sempre que uma compressão nos nervos é ignorada, tem chance de danos permanentes”, diz Holz. “Um problema que pode acontecer é o neuroma de Morton, que é quando um dos ramos de nervos na planta do pé, que desenvolve tecido de cicatriz ao redor do ramo neural ao tentar se proteger da compressão”, diz. O resultado: dormência duradoura ou permanente. Se suas sapatilhas são muito estreitas, isso pode agravar o problema. Uma forma de atenuar o problema é adicionar uma entressola na altura do metatarso. Sapatos de bico fino e salto alto, fora da bike, pode contribuir o problema. 

Por outro lado, restrições na circulação sanguínea pode ser um resultado das mesmas causas, “mas geralmente está ligado a calçados que vestem mal ou que tem uma forma desconfortável. Ou a temperatura, já que os pés costumam ser a primeira coisa a sofrer quando esfria”, diz Holz.

Como lidar com dormência e formigamento nos pés

Muito bem: como resolver o problema se ele surgir no meio de uma pedalada? Holz sugere primeiro desapertar a sapatilha, especialmente no calor. “Vai tanto ajudar a aliviar a pressão e ajudar na circulação”, diz. Às vezes simplesmente fazer uma pausa e massagear os pés é suficiente para resolver. Claro, durante uma prova, não é o ideal. Mas se você precisar ficar dando um jeitinho no problema o tempo todo, algo está errado no ponto de contato entre o pé e a bike, porque não é normal esse grau de desconforto. 

Holz oferece três boas soluções para prevenir pés e dedinhos da dormência. Mas, perceba que não existe solução única. Ir testando o que funciona e até buscar ajuda profissional pode ser necessário antes que você ache o que dá certo para você. 

Confira o número da sapatilha

As solas rígidas das sapatilhas são fantásticas para transferir a potência da pedalada, mas também significa que os dedinhos do pé não se movem muito. Eles precisam de uma dose extra de espaço para ficarem confortáveis e sem pontos de compressão. 

“Se você sente pontos de pressão só de colocar os calçados, subir na bike já costuma aliviar. A maior parte das sapatilhas são feitas de materiais que não são projetados para lacear tanto, mas isso também significa que eles vão pegar a forma do pé. Então as sapatilhas precisam ser confortáveis logo de cara, ou são o modelo errado”, diz Holz.

Gallagher também sugere tentar modelos de pedais e encaixes diferentes em sua bicicletaria de confiança, que provavelmente saberá também te ajudar a fazer boas escolhas. 

Dê suporte ao seu arco plantar 

Além de escolher a forma certa para seu pé e substituir a palminha por uma mais confortável, é importante dar suporte para o arco plantar, deixando-o em uma posição neutra. 

“A palmilha certa não apenas previne colapso do arco plantar mas pode aumentar a eficiência, mas também ajudam a distribuir a pressão na sola. Isso elimina os pontos de pressão que causa compressão nos nervos ou perda da circulação”, diz Holz. 

Muitas sapatilhas tem uma variedade de formas para dar suporte ao arco para testar, e você pode substituir a sola inteira por uma opção comprada à parte como palmilhas moldáveis da SOLE.

Gallagher acrescenta que apesar da mecânica do pé ser diferente pedalando e caminhando ou correndo, “o papel de palmilhas ortopédicas precisa ser avaliado caso a caso dependendo dos problemas que o ciclista está enfrentando”. Em alguns casos, elas podem mitigar dormência e formigamento, mas ele aconselha trabalhar com um especialista para achar a solução. 

Faça um bike fit profissional

Essa solução é bem objetiva. Detalhes sutis podem ser difíceis de autodiagnosticar sem experiência, então um bikeffiter certificado vão olhar com mais profundidade para sua biomecânica e estrutura do pé e podem ajudar a avaliar o que está causando os problemas. 

“Selim muito alto ou muito baixo, ou diferença de comprimento entre as pernas, pode por estresse a mais na lombar e quadril, pinçando nervos e contribuindo para sintomas como dormência e formigamento nos pés”, diz Gallagher.

Um bike fit profissional costuma incluir uma atenção detalhada aos pontos de pressão que sofrem dormência e formigamento nos pés, como posição dos clipes, posição dos pedais e postura, podendo ser customizado para seus objetivos de performance e lazer.