Jair Bolsonaro entregava jornais de bicicleta na adolescência

Mais de 30 assinantes dependiam do presidente eleito para receber o jornal em casa

Entregar jornal a 32 assinantes era o trabalho de Jair Bolsonaro na adolescência (Foto: L. Willinger/FPG/Hulton Archive/Getty Images)

Por essa ninguém esperava. Recentemente, o jornal O Estado de S. Paulo revelou através de seu acervo histórico uma curiosidade interessante sobre o presidente eleito Jair Bolsonaro. Quando tinha 16 anos e morava em Eldorado Paulista (SP), cidade do Vale do Ribeira, com cerca de 15 mil habitantes, ele era responsável por entregar, diariamente, 32 exemplares desse jornal aos assinantes de sua cidade. Você pode achar pouco, mas ele fazia todo o trajeto de bicicleta.

Naquela época, no final dos anos 1960, ele provavelmente não pretendia ser militar, tampouco político. “Eu chegava a uma hora da tarde para fazer este trabalho”, contou em entrevista ao jornalista e coordenador do Acervo Estadão, Edmundo Leite. “E, além de entregador, eu era colaborador do jornal.”

Leia também: Como a bike salvou a vida de um refugiado venezuelano no Brasil 

Jair Bolsonaro: entregador e colaborador de jornal

É que, além de pedalar por Eldorado Paulista para entregar os jornais aos assinantes, Jair Bolsonaro bolava palavras cruzadas, que eram frequentemente publicadas pelo jornal. E, pasmem, segundo Edmundo, duas palavras eram muito usadas pelo presidente eleito: “amar” e “rezar”.

Quando alguma de suas cruzadinhas estava impressa no jornal do dia, ele fazia questão de dizer que “Eldorado Paulista estava presente naquela publicação”.

Como um estudante normal do ensino médio, Jair Bolsonaro estava mais interessado pelas seções de esporte e entretenimento – além da Guerra de Independência de Angola. “As palavras cruzadas eu bolava para melhorar o meu conhecimento de língua portuguesa”, disse. E numa época em que não existiam internet e redes sociais, os jornais eram uma grande fonte de diversão e informação às pessoas.

Agora, se Jair Bolsonaro vai se lembrar do quanto à bicicleta era útil naqueles tempos, e dessa forma vai facilitar o caminho às magrelas a partir de 2019, isso já uma outra história…