Ele pedalou 2 mil km até conseguir um emprego

A história do gaúcho Geovani Corrêa é um exemplo do alto índice de desemprego no país

(Foto: Tiago Boff / Agencia RBS)

Durante um ano e meio, Geovani Corrêa Pacheco, 29, pedalou diariamente entre Guaíba e Porto Alegre (aproximadamente 30 km), no Rio Grande do Sul, atrás de um trabalho.

Ele finalmente conseguiu um emprego, como diarista em uma empresa que faz descarga de eletrodomésticos e eletrônicos de uma rede de varejo.

Geovani está feliz, mesmo ainda não tendo a Carteira de Trabalho assinada. “É um alívio conseguir um trabalho, e estou feliz por isso”, ele disse ao site Gaúchaz.

>> Emprego dos sonhos: Pedalar é o trabalho deles

Geovani estava desempregado há bastante tempo, e pelo menos três vezes por semana ele saía de casa com sua bicicleta para procurar um trabalho em Porto Alegre. “Só neste ano eu fiz esse trajeto mais de 30 vezes”, contou ao mesmo site. “Às vezes, tinha que descer da bicicleta e empurrar, de tanta dor nas pernas.”

Ele calcula que pedalou facilmente mais de 2 mil km até finalmente conseguir este emprego.

Mas com o novo trabalho sua rotina vai mudar. Geovani, que é casado e pai de dois filhos (um de 5 anos e outro de 4 meses) agora seguirá de carona à capital gaúcha. O transporte vai deixá-lo no centro de distribuição da zona norte de Porto Alegre.

Sua história já havia sido contada no mesmo site, e ele garante que recebeu mais de 20 ligações por conta disso.

Geovani agora vai descarregar os produtos que chegam nas carretas, organizar e distribuir as entregas. E vai receber R$ 50 por dia.

“Tenho vontade de voltar a estudar”, diz ele, que fez até a oitava série do Ensino Fundamental. “Mas na última vez que tentei, em 2009, eu chegava sempre atrasado e cansado nas aulas. Aí desisti.”

A esposa de Geovani ainda está desempregada, e segue na luta por um trabalho.