Ele tomou 500 picadas de abelhas e foi pedalando pedir socorro

Essa quantidade de picadas já é algo bem preocupante a um ser humano

Getty Images

O pedreiro José Donizete Moscardini, 64, carpia um terreno em Londrina (PR), quando, ao mexer em uma tábua, não percebeu que tinha uma colmeia e foi atacado por centenas de abelhas (da espécie europeia). Depois de tomar cerca de 500 picadas de abelhas, José então pegou sua bicicleta e partiu em busca de socorro.

Ele parou em frente a um supermercado, onde as pessoas o ajudaram a se livrar do enxame. Conforme relatou uma testemunha, José estava sem camisa e coberto pelo enxame.

Segundo o site G1, este incidente aconteceu no último domingo (27 de janeiro), e o pedreiro deveria receber alta ainda hoje (29 de janeiro).

Leia também: Ele pedalou com uma faca cravada na cabeça

“Elas vieram direto na minha cabeça e no rosto, não tive como escapar”, ele contou ao mesmo site.

Logo depois de ser atacado pelas abelhas, José então pedalou por quase dois quarteirões por uma avenida.

Espécie de abelha-europeia que atacou seu José (Foto: Getty Images)

Depois de receber ajuda, em frente ao supermercado, o pedreiro foi atendido pelo Corpo de Bombeiros e então levado para o Hospital do Coração, onde foi encaminhado direto para a UTI.

Picadas de abelhas: não existe antídoto

Pelo visto, José teve muita sorte. Segundo a dermatologista Clarissa Urquiza, que o atendeu no hospital, ele levou cerca de 500 picadas de abelhas. Ouvida pelo G1, ela explicou que essa quantidade de picadas já é algo bem preocupante a um ser humano, já que pode causar complicações como comprometimento renal e toxidade cardiológica. Diferentemente do que acontece com picadas de cobra, não existe um antídoto contra abelhas.

Foi tão traumático que seu José tomou uma decisão radical: “Eu não quero capinar mais não”, ele disse.