Estou grávida, posso pedalar?

"Pedalar por dois" é uma escolha bem pessoal. Se for a sua escolha, aqui vão dicas para manter você e seu bebê seguros e felizes

Por Selene Yeager

Engravidar é começar a ter que tomar um milhão de decisões. Uma das mais pessoais é continuar pedalando ou não. Pedalei praticamente até o parto, mas mudei os percursos e cortei totalmente o mountain bike mais extremo. Nunca me senti insegura e nunca pensei duas vezes (nem minha médica, uma vez que eu prometi para ela que não iria aprontar). Algumas amigas também pedalaram durante a gravidez, outras pararam assim que a barriga começou a apontar. Outras migraram para bikes ergométricas assim que o teste de gravidez mostrou os dois palitinhos.

Mesmo a Sociedade Americana de Obstetrícia e Ginecologia não veta pedalar durante a gravidez (andar a cavalo, esquiar e outras atividades de alto risco sim). Eles observam que mountain bike pode ser mais arriscado, e que pedalar numa ergométrica é mais seguro que na rua por causa da mudança no centro de gravidade pela qual nosso corpo passa.

“A regra é o bom senso,” diz Mary Jane Minkin, professora de ginecologia e obstetrícia em Yale. “Se você é uma ciclista experiente que já está confortável na bike, continue pedalando.”

Só preste atenção em como você se sente depois do primeiro trimestre. “Algumas mulheres sentem mudanças no equilíbrio por causa da mudança no centro de gravidade”, diz Minkin. “Melhor não subir na bike se você não está se sentindo estável. Dou o mesmo conselho à esquiadoras. Você não quer cair, certo? Use a cabeça.”

Você vai receber muitos conselhos sobre o que deve ou não fazer, mesmo que não queira. Você vai pensar se questionar se está decidindo certo. Estranhos vão criticar o que você fizer (não importa o que você faça). Então, se você vai pedalar, preparamos um guia para se manter segura e saudável. Cada gravidez é diferente, então não deixe de falar com seu médico. Algumas gravidezes são de risco e várias atividades devem ser restritas, inclusive pedalar.

Moderação

O conselho geral sobre quanto exercício fazer depende de quanto você já fazia antes de ficar grávida. Para uma Ironman, um pedal de duas horas é algo que ela faz antes do café. Para quem está começando, pode ser o maior pedal que a pessoa já fez. Fique dentro de sua zona de conforto; não é hora de quebrar recordes e forçar seus limites. Os médicos não estabelecem mais zonas cardíacas recomendadas (o teto antigamente era 140), mas recomendam a percepção de esforço na zona moderada, como conseguir conversar enquanto pedala.

Cada trimestre é diferente

Em geral, o primeiro trimestre é uma avalanche de hormônios. Seu corpo está trabalhando dobrado para firmar a gravidez e criar a placenta, e você pode se sentir mais cansada, ter enjoos matinais, e aquela sensação de “não me sinto eu mesma”. Ou você pode estar se sentindo ótima. Minkin recomenda: use a cabeça e avalie como se sente.

Geralmente o mal estar matinal alivia no segundo trimestre e sua energia volta ao normal. Pode ser a melhor fase para pedalar. Mas pode acontecer ao mesmo tempo em que a barriga começa a ficar saliente, então ligue o radar para ver como você se sente. O mesmo vale para o terceiro trimestre: eu me sentia até mais estável na bike. Mas com oito meses, algumas amigas não queriam nem ver a bike, e deixaram de lado até o bebê nascer. Faça o que sentir que é melhor para você.

Relaxe

Não é preciso dizer que quanto maior sua barriga, mais devagar você tende a ir. E que fica mais difícil respirar profundamente. Tem uma pessoinha crescendo dentro de você, e puxando um pouco daquela energia que você injeta no pedal. Seu giro de sempre vai começar a parecer mais longo. Se precisar, encurte o treino.

Você vai ficar maior e mais pesada, o que impacta sua forma de pedalar. Você vai precisar de mais tempo para acelerar e parar; pode ser ser mais delicado fazer curvas. Nos últimos meses, ciclovias, estradas tranquilas e acostamentos seguros podem ser os melhores lugares para girar.

Ajuste o bike fit


Conforme ficar mais difícil se apoiar no guidão, você pode precisar fazer alguns ajustes para ficar confortável no selim. Subir um pouco o guidão pode ajudar ao deixar você numa posição mais ereta. Mas lembre-se que talvez isso implique em colocar um selim mais largo também, feito para dar o melhor apoio numa posição mais vertical. Talvez você precise também de um bretelle maior ou um short com forro para suas roupas de passear na bike preferidas.

Hidrate-se e alimente-se


Não subestime suas necessidades energéticas. Nunca vou esquecer um pedal que eu sempre fazia, de uns 30 quilômetros, que eu já tinha feito um milhão de vezes com minhas amigas, uma das quais estava grávida. Eu tinha tomado um bom café da manhã e não pensei duas vezes quando surgiu a oportunidade de dar um giro na hora do almoço. A uns 7 quilômetros de casa, quebrei. Eu tinha dois dólares no bolso. Eu fui me arrastando até uma pizzaria, comprei pãozinho de aperitivo e foi o que me salvou aquele dia. Leve sempre comida a mais com você enquanto estiver grávida.

Hidratação é mais importante ainda quando você está grávida. Você precisa de mais água para seu corpo desempenhar as mesmas funções e além disso as funções relacionadas à gravidez. É mais fácil superaquecer grávida porque sua taxa metabólica está mais alta e seu corpo não consegue se resfriar tão fácil. Leve o dobro de fluido que está acostumada e não pedale no calor forte.