Geraint Thomas vence no Alpe d’Huez! Sprinters se despedem do Tour

Sob vaias, ciclista da Sky mantém a camisa amarela, enquanto vários sprinters quebraram e estão fora do Tour

Geraint Thomas vence no Alpe d'Huez e mantém a camisa amarela

A etapa mais clássica do ciclismo mundial, a escalada ao mítico Alpe d’Huez, foi uma das mais emocionantes da história neste Tour de France 2018.

Depois de ataque seguido de ataque, o britânico Geraint Thomas (Sky) venceu sua segunda etapa consecutiva no Tour de France 2018, mantendo a camisa amarela, conquistada ontem.

Thomas chegou aos últimos quilômetros do Alpe d’Huez no pelotão com Bardet, Froome, Dumoulin e Landa. Mas o britânico considerado “o segundo piloto da Sky”, e que em tese trabalha para Chris Froome (o protagonista da equipe), acelerou nos últimos metros para vencer. Tom Dumoulin foi o segundo. Romain Bardet, o terceiro.

Kruijswijk, o mais combativo

O holandês Steven Kruijswijk foi eleito o ciclista mais combativo da etapa. A 60 km do final, ele liderava sozinho, 6’15’’ à frente do pelotão. E só foi alcançado na escalada ao Huez – os últimos 15 km da etapa.

Acidente no Alpe d’Huez

Um dos favoritos a levar este Tour de France 2018, o italiano Vincenzo Nibali perdeu segundos preciosos por conta de uma queda que a TV não flagrou, durante a escalada no Alpe d’Huez. Com isso, Nibali chegou em sétimo lugar,  a 13 segundos do líder.

Sprinters quebrados

Se durante a 11ª etapa o Tour de France 2018 perdeu Mark Cavendish e Marcel Kittel, na 12ª etapa, hoje, as escaladas duras foram responsáveis pela desistência de outros importantes sprinters: Fernando Gaviria, André Greipel e Dylan Groenewegen abandonaram o Tour 2018. Em outras palavras, abriram-se as portas para Peter Sagan vencer a última e icônica etapa do Tour, na Champs-Élysées. Será?

Vaias para Froome e a Sky

Os franceses aproveitaram para vaiar Froome, Thomas e a equipe Sky, que conseguiu aprovar a participação de Froome, que respondia por uma suspeita de doping, nos últimos momentos. O público chegou a passar dos limites, tocando no britânico que briga pelo pentacampeonato do Tour de France.

Vídeo

Esta chegada histórica vale a pena ver de novo: