Imagens fortes: ciclista cai e bicicleta fica cravada em sua perna

O caso de Colin Reuter foi um desafio à equipe médica, que precisou remover o eixo da roda da bicicleta de sua perna

(Fotos: Colin Reuter)

Imagens fortes: mas não; não teve nada a ver com um acidente envolvendo freio a disco em uma competição de estrada.

Recentemente, o ciclista amador Colin Reuter competia na Lime Rock Cycling Grand Prix, prova que acontece em Lakeville (NY, EUA). E, depois de se envolver em um acidente, quando se deu conta já estava com a bike de um adversário fincada em sua perna.

Colin é um competidor experiente, que inclusive organiza competições de bicicleta. Mas quando dois competidores enroscaram rodas e caíram na sua frente durante a Lime Rock, ele não conseguiu evitar seu envolvimento no acidente.

Ele caiu em alta velocidade, voando e aterrissando na bicicleta de um adversário. Com o impacto, a ponta do eixo da bicicleta do outro ciclista cravou em sua perna esquerda.

No mesmo instante ele percebeu que algo estava errado, mas manteve a calma.

“Há uma alavanca ‘quick release’ cravada bem na minha perna”, disse ao se dar conta do ocorrido. O design dessa alavanca é fino e pontudo, e dá para imaginar que fosse capaz de furar alguém com um forte impacto, por mais que isso seja algo raro — talvez inédito no ciclismo.

Colin tentou agir conscientemente. Puxar com força poderia causar uma hemorragia. E se o aparato tivesse perfurado uma artéria? Melhor seria não mexer.

>> Homem cai de bicicleta e tem ereção prolongada de 9 dias

Outros ciclistas pararam para ajudá-lo, e quando os paramédicos chegaram, ele precisou explicar qual objeto era aquele que, de fato, que estava cravado em sua perna.

A alavanca do eixo ainda empalada na perna Colin, abaixo do joelho.

Imagens fortes X momentos de descontração

Toda a tensão também se alternou c+om momentos de descontração. Então alguém percebeu que tirar o garfo da bicicleta seria o procedimento mais apropriado para, finalmente, Colin poder ser levado a um hospital, tendo que ser carregado junto com uma bicicleta inteira.

E assim, com o garfo e a roda pendurados em sua perna, ele seguiu ao centro médico. Foi, segundo ele, “a viagem mais longa de sua vida”, que durou 45 minutos.

No hospital, os médicos precisaram achar no Google uma foto do objeto que perfurou a perna do ciclista. Para eles, aquilo não significava “imagens fortes”, e sim uma cena surreal. “Mas eu realmente gostei que eles estivessem tentando entender perfeitamente com o que eles estavam lidando primeiro”, disse ele.

Em radiografias, os médicos constataram que o eixo não perfurara nenhum órgão vital, e removeram o “pedaço de bicicleta” da perna de Colin.

Já no hospital, prestes a perder seu “acessório temporário”

Apesar de ainda não poder mexer muito a perna, o norte-americano já planeja competir em um futuro próximo. “Não é isso que vai me impedir de competir”, garantiu. “Eu já me machuquei antes.”