Nem Uber, nem táxi: este executivo prefere ir ao aeroporto pedalando

Por que a bicicleta que está se crescendo entre os veículos utilizados para se chegar aos aeroportos dos EUA

Conor Semler pedala até o aeroporto para uma reunião de negócios (Foto: Kayana Szymczak para o New York Times)

Recentemente o jornal The New York Times fez uma matéria sobre os intrépidos viajantes de negócios que encontraram um novo meio de transporte para chegar aos aeroportos: a bicicleta.

Esses profissionais têm várias opções para ir ao aeroporto. Eles podem chamar um táxi, um Uber, pegar ônibus ou trem. Mas, independentemente da escolha, eles acabam parados no trânsito quando chegam ao terminal. E isso parece que têm tirado um pouco a paciência de quem tem que embarcar com frequência.

É aí que entrou uma nova opção: a bicicleta – pelo menos em alguns aeroportos dos Estados Unidos.

Leia também: Mais um motivo para usar a bicicleta como meio de transporte

A reportagem pegou como exemplo o executivo de uma empresa privada de engenharia, Conor Semler, que mora em Somerville, Massachusetts, cidade ao norte de Boston, e vai pedalando até o Aeroporto Internacional Logan, o maior da cidade de Boston, quando tem que viajar a trabalho.

“Eu prefiro não estar em um carro”, justifica Conor.

Segundo ele, ele demora cerca de 45 minutos para completar uma viagem de 11 km. De carro, leva 25 minutos. Mas, de bike, o transporte e o estacionamento são de graça (e há sete bicicletários naquele aeroporto!).

Aeroporto preparado para as bikes

Essa infraestrutura às bikes não é exclusiva do aeroporto Logan. Os aeroportos de Baltimore-Washington, San Diego e Portland também são totalmente receptivos aos ciclistas.

Em muitos casos, os próprios funcionários desses aeroportos são os grandes usuários das bikes.

O curioso é que, além do crescimento do número de opções no compartilhamento de bikes, os próprios aeroportos estão tentando cada vez mais melhorar a vida de quem prefere se locomover de bicicleta.

E, à medida que o transporte por bicicletas se difunde no país, o governo federal é praticamente obrigado a ajudar a bancar a construção e a manutenção deciclovias.

Quanto ao Sr. Conor Semler, ele está cada vez mais adepto da bicicleta, e estendeu seus pedais para encontros e passeios em família — seus filhos adoram. “A primeira vez que eu pedalei ao Aeroporto Logan, foi uma novidade, mas depois de experimentar, percebi que não apenas era possível, como mais fácil”, diz ele, meio que incentivando outras pessoas a darem uma chance a bicicleta.