Os alimentos estranhos que os ciclistas do Tour de France consomem – e adoram

Quando você queima mais de 5 mil calorias por dias, você pode ser criativo com o que você come

Foto: Getty Image
Por Molly Hurford, da Bicycling USA

Competir no Tour de France é, sem dúvida, uma ótima maneira de queimar calorias – tanto que a corrida é quase definida pela capacidade de um atleta comer, beber e absorver o máximo possível durante as semanas de corrida. Mas o que exatamente eles estão comendo, em cima e fora da bike? As respostas estão logo abaixo, com alimentos estranhos e surpreendentes.

Cookies amanteigados de nozes

Foto: Getty Image

“Quando você está queimando mais de 5.000 calorias por dia, muito do que você precisa fazer é  substituir as calorias, só isso, então você come o que quiser”, diz o ex-ciclista profissional e amante de biscoitos, Phil Gaimon. “Os caras devoram manteiga de amêndoa e, além disso, o cereal da noite no quarto do treinador é quase tradicional. E claro, já comi um monte de biscoitos que ciclistas de outros países me trouxeram e que os médicos da equipe me fizeram prometer que eu não comeria.”

Doces de halloween

Os norte-americanos fazem doces e travessuras no Halloween, colecionando mini-barras de chocolate em uma sacola. Pois é, o Tour é basicamente como um Halloween de três semanas para a equipe EF Education First – Drapac p/b Cannondale, graças à “soigneur” Sophie Roullois. “Eu coloco uns mini Snickers na bolsa [que eles pegaram na zona de abastecimento durante a corrida]”, diz ela. Alimentos estranhos para ciclistas, certo?

Tudo o que é carboidrato

“O glúten ainda não é um problema, desde que em quantidades normais”, diz Nicki Strobel, chef de cozinha dos ciclistas da Mitchelton-Scott. “Não incentivamos dietas da moda; tentamos basear a nossa nutrição em evidências. Neste Tour, teremos refeições de baixo teor de carboidratos no treinamento como um fator de estresse adicional ao corpo, mas na corrida não há dúvidas de que os carboidratos são o rei!”

Novas bebidas – mas não no dia da corrida

A equipe Sky é conhecida por suas estratégias de ganhos “além da corrida”, e a equipe também a aplica isso à nutrição — mas bem antes do dia da corrida, é claro. É por isso que o nutricionista James Morton fez a equipe testar uma nova bebida esportiva, a Science in Sport Beta Fuel, antes do Tour. Ele diz que ela foi projetada para “garantir alta disponibilidade de carboidratos sem causar desconforto gastrointestinal para aqueles momentos em que é realmente difícil de se alimentar, como em etapas com muito sobe e desce, quando a corrida é cheia ou está muito frio para ficar desembrulhando alimentos.”

Bananas e mais bananas

Foto: Getty Image

“Às vezes, os ciclistas fazem pequenos ajustes em suas refeições, mas o cozinheiro da equipe faz um ótimo trabalho gerenciando isso”, diz Nigel Mitchell, chefe de nutrição da EF Education First – Drapac p/b Cannondale. Rigo [apelido do colombiano Rigoberto Urán] gosta de banana-da-terra no café da manhã, e muitas vezes ele traz um pouco e pede para o cozinheiro prepará-las.”

Na Mitchelton-Scott, Nicki Strobel recebeu um pedido semelhante: “Temos um ciclista que come omelete de banana todos os dias”, diz. “Foi a primeira vez que eu ouvi falar disso, apenas um omelete, com três ovos, e com uma banana amassada!”, passa a receita.

Mais um desses alimentos estranhos, mas que despertam a fome.

Jantar russo

Embora os carboidratos sejam o rei, os atletas não querem apenas a mesma coisa depois de alguns dias de corrida. Às vezes, eles querem mudar os sabores e os tipos de comida. “O prato mais surpreendente que já me pediram foi um jantar russo’, diz Olga Belenko, chefe de cozinha da EF Education First – Drapac p/b Cannondale. “Adotei essas receitas como parte da dieta dos ciclistas, o que foi bem recebido.”

Almôndegas…

Foto: Getty Image

…. mas não para o jantar. Alguns ciclistas recebem almôndegas nas sacolas durante o abastecimento. “Nas estapas de montanha, alguns de nossos maiores atletas pediram por diferentes comfort foods: e então as almôndegas do jantar da noite anterior provavelmente foram a coisa mais surpreendente que já servimos a eles durante a prova”, diz Strobel.

Preparos variados

O Tour reúne ciclistas de dezenas de países, então, a maneira como eles preferem comer arroz, batata e massas varia. Olga Belenko diz que é um grande desafio satisfazer todas as diversas preferências pessoais de uma equipe internacional, respeitando as diretrizes nutricionais de cada país. “Os ciclistas latinos preferem manter as coisas simples e separadas, como verduras e carnes grelhadas, molhos e nada muito apimentado. Já os europeus preferem mais sabores de batata e cremes defumados, enquanto os americanos são loucos por temperos apimentados e curry.” Mas ela revela o que todos adoram: panquecas!

Ursinhos de goma

Foto: Getty Image

Peter Sagan ganhou as manchetes quando foi visto colocando um punhado de ursinhos de goma na boca no final de uma corrida, e ele não é o único. A Strobel tem um ciclista que sempre pede balinhas Haribo depois da corrida para repor carboidratos rápidos (e deliciosos).