Os ciclistas que vão brilhar no Tour de France 2019

Com Chris Froome e Tom Dumoulin de fora, listamos 5 ciclistas que certamente vão mandar bem neste Tour de France 

(Foto: Tim de Waele/ Getty Images)

Com um percurso montanhoso, apenas dois contrarrelógios e a ausência de Chris Froome e Tom Dumoulin, o Tour de France 2019 deve ser uma das edições mais “em aberto” e emocionantes da história.

A seguir, listamos alguns ciclistas que estarão forte e, em algum momento da prova, deverão brilhar nesta edição que começa no próximo sábado (6 de julho).

Veja as nossas apostas para o Tour de France 2019. E você, quem acha que ganha?

EGAN BERNAL (TEAM INEOS)

(Foto: Tim de Waele/ Getty Images)

Egan Bernal foi escalado tardiamente no ano passado, fazendo seu primeiro Tour com apenas 21 anos de idade. Mas o jovem colombiano fez uma exibição impressionante, especialmente nas altas montanhas, onde ajudou Geraint Thomas e Froome aos primeiro e terceiro lugares na geral. Como resultado, ele recebeu mais responsabilidade em 2019, vencendo a Paris-Nice em março com uma apresentação brilhante, na qual foi tido como “o futuro vencedor de um Grand Tour”. Com Froome lesionado e Thomas pouco treinado, agora teremos a chance de ver o que Bernal pode fazer quando estiver pedalando somente para si próprio na França. Ele é a nossa maior aposta para vencer este Tour de France – que daria a Ineos (antiga Sky) a sétima vitória nos últimos oito anos.

GERAINT THOMAS (TEAM INEOS)

(Foto: Luc Claessen/ Getty Images)

Thomas entrou no Tour do ano passado como co-líder do Team Sky, juntamente com o tetracampeão Froome. Mas Froome caiu e perdeu tempo na 1ª etapa, enquanto Thomas fez uma prova perfeita, vencendo duas etapas e a vitória geral. Ele entra na corrida de 2019 como co-líder mais uma vez, desta vez ao lado de Bernal. Mas ele não teve uma ótima temporada até agora, com poucos resultados que definem sua carreira e um acidente que o levou para casa mais cedo no Tour da Suíça, sua última corrida. Dito isto, ele ainda é o atual campeão, um dos pilotos mais completos do Tour e tem o apoio da melhor equipe do ciclismo. Se Bernal hesitar e Thomas puder usar os primeiros dias para ficar em forma, outro pódio está certamente ao alcance de Thomas.

>> Percurso do Tour de France 2019 terá recorde em subidas

THIBAUT PINOT (GROUPAMA – FDJ)

Tour de France
(Foto: Tim de Waele/ Getty Images)

Pinot tornou-se um herói nacional na França depois de ter vencido uma etapa durante seu primeiro Tour, em 2012. Depois, o mais jovem ciclista da competição imediatamente deu ao seu país a esperança de conquistar o primeiro Tour desde Bernard Hinault, em 1985. Mas seguiu inconsistente, e ficou em terceiro na geral em 2014. E não conseguiu terminar a corrida em 2013, 2016 e 2017. Ele não compareceu ao Tour no passado depois de ficar doente no Giro d’Italia, meses antes. No entanto, nesta temporada ele se concentrou exclusivamente no Tour, impulsionado por um sexto lugar na Vuelta a España de 2018 e uma vitória no Giro de Lombardia. Ele parecia bem na Critérium du Dauphiné, em junho, terminando em quinto na geral, e agora chega ao Tour como um forte candidato ao pódio.

NAIRO QUINTANA (MOVISTAR)

Tour de France
(Foto: ANNE-CHRISTINE POUJOULAT/ Getty Images)

Com a ausência de Froome e Dumoulin, juntamente com o surgimento do colega colombiano Bernal, ninguém está falando sobre Nairo Quintana. E ele provavelmente está bem com isso, pois isso alivia a pressão que ele já enfrentou ao começar Tours anteriores. Ainda assim, o pelotão não deveria se esquecer completamente de Quintana. Ele já subiu três vezes ao pódio no Tour de France e é excelente nas montanhas. Ele também tem apenas 29 anos; está no auge. E sua equipe, a Movistar, é uma das mais fortes da corrida. Finalmente, ele está lutando por um novo contrato, o que significa que ele estará mais motivado do que nunca para ganhar o único Grand Tour, ou a Grande Volta, que ele ainda não tem.

JULIAN ALAPHILIPPE (DECEUNINCK–QUICK STEP)

Tour de France
(Foto: ANNE-CHRISTINE POUJOULAT /Getty Images)

Alaphilippe, 27, venceu duas etapas e conquistou a camisa de bolinhas no Tour de France do ano passado. Ele terá liberdade para conquistar as etapas de montanha com a sua equipe Deceuninck – Quick Step, que chega à competição com uma lista eclética, querendo vencer o maior número de etapas possível. E, com muitas montanhas e menos sprints, não ficaremos surpresos se Alaphilippe marcar pontos suficientes para disputar as camisas verde e de bolinhas neste ano.