Por que mil ciclistas se deitaram em um parque de Nova York?

Para protestar contra as mortes no trânsito, ciclistas se deitaram em silêncio em um parque de NY

(Foto: Bryan Banducci)

Na última terça-feira (9 de julho), cerca de mil ciclistas se reuniram no Washington Square Park, em Nova York (EUA), para protestar contra o crescente número de mortes na cidade.

Foi uma união geral de pessoas que usam a bicicleta como meio de transporte: bike messengers, entregadores, ciclistas prós, amadores e ciclistas adolescentes deitaram suas bikes e corpos no chão para simular uma “morte em massa”. A intenção, claro, era chamar a atenção para as mortes de ciclistas e pedestres no trânsito da maior cidade daquele país.

O protesto, que deixou o local em absoluto silêncio por uns minutos, acontece depois de cinco anos que a cidade aprovou a política “Vision Zero” (Visão Zero), uma iniciativa que pretendia reduzir as mortes no trânsito para zero.

Apesar de o plano ter sido adotado pelo atual prefeito de NY, Bill de Blasio, na realidade este objetivo ainda está muito distante: só em 2019, 15 ciclistas já foram mortos em Nova York – contra 10 que morreram pedalando durante todo o ano de 2018.

A caráter de comparação, só nos três primeiros meses de 2019, São Paulo registrou 16 mortes de ciclistas no trânsito – um recorde, segundo o Infosiga, o banco de dados de acidentes de trânsito do governo do estado.

>> Bicicletas fantasmas são hoje um protesto mundial

Nos Estados Unidos, o que tem indignado os ciclistas é o fato de a polícia de Nova York não ter apresentado acusações sérias contra esses motoristas que atropelam e matam.

Sem contar os comportamentos de motoristas que, assim como acontece no Brasil, bloqueiam ou desviam seus carros para ciclovias constantemente, colocando ciclistas em risco.

Para a Massa Crítica local, Nova York é uma cidade que, há anos, tem dado o bom exemplo em matéria de ruas seguras, fazendo crescer o número de ciclistas no trânsito. E esses ciclistas estão preocupados em a cidade não perder este posto.

No Brasil, documentário também alerta para as mortes no trânsito

Segundo a associação Ciclocidade, pelo menos um pedestre ou ciclista morre em São Paulo ao tentar se deslocar pela cidade.

Recentemente, eles lançaram um mini-documentário, cobrando uma atitude das autoridades para reverter o problema. Assista: