Quem é você no Strava?

A forma que você fala do seu pedal diz mais do que você imagina

Imagem cortesia de Ken Murphy

Se você entrar no aplicativo Strava, vai encontrar vários perfis entre seus amigos de pedal. Tem o cara que inventa uns nomes criativos para cada registro, aquele que documenta cada metro pedalado, ou a amiga que bate 300 quilômetros de giro toda semana – como ela consegue fazer isso e ter um emprego ao mesmo tempo? O viciado em Strava e ciclista Ken Murphy começou a notar os arquétipos do Strava e criou um guia ilustrado no Instagram, que batizou de “A Quiet Bird” (um pássaro silencioso, em tradução livre). Talvez você ache a cara de algum amigo (ou se identifique, vai saber…).

O criador de títulos engraçadinhos

Imagem cortesia de Ken Murphy

“Pedal do croissant muito louco”, “Giro do fundo da caverna”. Qual a dúvida que ele passa o rolê inteiro pensando em qual vai ser o nome genial da vez?

O ogro

Imagem cortesia de Ken Murphy

Dói só de ver os pedais, com milhares de metros de altimetria acumulada, calorias queimadas equivalentes a uma loja de doces inteira e velocidade média incompatível com a maioria dos mortais amadores.

O humildão

Imagem cortesia de Ken Murphy

Não se engane, o “rolezinho suave antes do trabalho” tem uns 150km, os logs KOM caindo pelas tabelas e nos comentários sempre tem um papinho de “ah, foi tranquilo”.

O quase profissional

Imagem cortesia de Ken Murphy

A diferença entre o Strava dele e de um pro é que ele encaixa os treinos na hora do almoço.

O desculpinha

Imagem cortesia de Ken Murphy

É o Garmin que trava, o tempo que tava muito quente (ou muito frio), ou a bike que deu problema. Não falta nunca uma desculpa para explicar porque o pedal podia ter sido melhor.

O grava-tudo

Imagem cortesia de Ken Murphy

Pedal até a padaria, levar o cachorro para passear, ir ver se o lixeiro já passou na rua. Andou? Correu? Pedalou? Strava!

O campeão dos acrônimos

Imagem cortesia de Ken Murphy

Cada treino é praticamente um resumo da planilha, com direito a muitas, muitas siglas incompreensíveis para os não iniciados.

O fotógrafo compulsivo

Imagem cortesia de Ken Murphy

Se não tem foto e uma dúzia de hashtags inspiracionais, o #rolê #não #aconteceu.

O guerreiro do clima

Imagem cortesia de Ken Murphy

Está nevando? Ele vai pedalar. Chovendo torrencialmente? Ele vai pedalar. Sol tórrido de desidratar? Ele vai, lógico. E o log do Strava vai estar lá para jogar sua preguiça na sua cara.

O superpopular

Imagem cortesia de Ken Murphy

Não importa se você subiu o Everest de bike e essa pessoa só foi até a esquina: tem gente que é simplesmente imbatível na hora de ganhar kudos e vai ter centenas de curtidas a mais que você.

O triatleta de plantão

Imagem cortesia de Ken Murphy

Pense num Strava que não para: quando não é pedal, é corrida, e se não é corrida, é piscina. Se você já acha difícil achar tempo para treinar seu esporte preferido, saia de perto dos triatletas de plantão.

O pai ou mãe no modo turbo

Imagem cortesia de Ken Murphy

KOM ou QOM em buscar a molecada na escola, treino entre reunião de pais e mestres e reunião de trabalho, descanso ativo com carrinho de bebê são só alguns treinos que você vai ver aqui.

O ciclista de Ultra Ultra Distância

Imagem cortesia de Ken Murphy

Pode ter certeza que a quilometragem acumulada no guidão é maior do que a no volante de muito motorista profissional.

O Zwifter

Imagem cortesia de Ken Murphy

Um mundo à parte, literalmente. Os usuários do aplicativo Swift ganham o mundo – ou Wattopia – sem sair do rolo. Nunca.

O insone

Imagem cortesia de Ken Murphy

Dormir é para os fracos: acordar às 4h da manhã é o melhor café da manhã para esse ciclista. Que ainda emenda com o trabalho, milagrosamente não virando um zumbi.

SHARE