Quem foram os vencedores do Tour de France?

Não deu para ver o Tour etapa a etapa? Perdeu alguns detalhes e só viu que o Chris Froome levou o troféu de 2017 para casa? Veja como foi a edição desse ano da Volta da França

TIM DE WAELE/GETTY IMAGES

Por Whit Yost

Chris Froome, do Team Sky, venceu pela quarta vez o Tour de France, na edição de 2017. Froome foi acompanhado no pódio por Rigoberto Uran (Cannondale-Drapac) no segundo lugar e Romain Bardet (AG2R La Mondiale) em terceiro. O vencedor da malha verde foi Michael Matthews, da Sunweb, na classificação por pontos, e seu colega de equipe, Warren Barguil, levou a camisa de bolinhas vermelhas, do Rei da Montanha. A camisa branca, do melhor ciclista jovem, foi para Simon Yates, da Orica-Scott.

Com isso, Froome é o quinto ciclista na história a vencer quatro vezes o Tour. O feito já foi realizado por Jacques Anquetil, Eddy Merckx, Bernard Hinault e Miguel Indurain – cada um deles ganhou cinco vezes. Se ganhar mais uma vez, Froome garante seu lugar nesse panteão de lendas.

O que esperar para ano que vem?

Essa foi de longe a vitória mais desafiadora de Froome. No meio da terceira semana do Tour, quatro competidores estavam a cerca de 90 segundos da vitória. Mas Froome conseguiu se garantir nos Alpes, o que se somou ao desempenho já esperado para as etapas de contrarrelógio. Essas duas etapas foram tudo que ele precisava: a margem para garantir a vitória foi totalmente devido ao tempo que ele ganhou de vantagem no contrarrelógio de Düsseldorf na primeira etapa e na etapa 20,em Marselha.

Vencer o quinto Tour de France não será uma tarefa fácil. Os principais adversários de Froome devem voltar ano que vem, e talvez mais confiantes ainda nas suas chances, considerando quão perto de derrotá-lo estiveram esse ano. Froome deve contar também com um desafio maior de Nairo Quintana, da Movistar (que já subiu ao pódio do Tour três vezes), que sofreu bastante no pior Tour de France da sua carreira depois de conquistar um segundo lugar no Giro d’Italia, em maio. Para pior, Quintana pode estar acompanhado na Movistar por Mikel Landa, que esse ano terminou em quarto, apesar de estar como gregário de Froome no Team Sky.

E tem também Richie Porte, que teve uma queda terrível que o tirou da prova na Etapa 9. Porter parecia pronto a desafiar Froome até Paris esse ano, e certamente ano que vem vai voltar com sede para se vingar dos demônios que o mandaram mais cedo para casa em 2017.

Mas o pior futuro adversário de Froome nem participou da prova esse ano. Tom Dumoulin, da Sunweb, que tem apenas 26 anos, pulou o Tour depois de derrotar Quintana no Giro d’Italia. Apesar do nome francês, Dumoulin é um holandês jovem, bom escalador e contrarrelogista ainda melhor do que Froome.

Mesmo que a Sky perca Landa até a próxima temporada, certamente irá cercar Froome dos melhores gregários que o dinheiro pode comprar. E a equipe vai precisar: Quintana descansado, Porte recuperado e Dumoulin confiante devem dar muito trabalho a Froome.

Etapa 21
A última etapa do Tour consagrou Froome vencedor da prova pela quarta vez. Dylan Groenewegen venceu a etapa final ao ultrapassar André Greipel, que pela primeira vez terminou um Tour sem ganhar nenhuma etapa.

Os contrarrelógios foram fundamentais para a vitória de Chris Froome. Imagem: CHRIS GRAYTHEN/GETTY IMAGES

Etapa 20 – Chris Froome
Como era esperado, no contrarrelógio de Marselha, Froome ganhou mais alguns preciosos segundos em relação aos seus rivais, consolidando sua liderança no Tour de France 2017. Ele terminou em terceiro na Etapa 20, seis segundos atrás do vencedor, Macej Bodnar da Bora-Hansgrohe. Mas o britânico terminou 25 segundos à frente de Uran, da Cannondale-Drapac, e 1:57 à frente de Bardet, da AG2R La Mondiale, que terminaram o dia em segundo e terceiro na classificação geral do Tour. Apesar de não vencer nenhuma etapa durante as três semanas do evento, Froome fez tudo que era necessário para garantir o primeiro lugar no pódio do Tour – principalmente nos dois contrarrelógios.

O outro grande vencedor foi Bardet. Disparado o ciclista de contrarrelógio mais fraco dos competidores, o francês perdeu o segundo lugar geral para Uran, mas levou um lugar no pódio por um segundo para o colega de equipe de Froome, Mikel Landa.

Etapa 19 – Chris Froome
Froome terminou bem no fim da etapa 19, mantendo a liderança. Edvald Boasson Hagen, da  Dimension Data, venceu a etapa de Salon de Provence. O norueguês se destacou entre os remanescentes da grande fuga do dia e ganhou a segunda etapa de sua carreira. Não houve, contudo, mudanças na classificação do Tour. A dois dias do fim, Froome lidera com 23 segundos de Romain Bardet, da AG2R La Mondiale, e 29 segundos de Rigoberto Uran, da Cannondale-Drapac.

No Tour de France 2017, Chris Froome disputou por segundos a liderança em diversos momentos da prova. Ano que vem a disputa será ainda mais dura. Imagem: Getty Images

Etapa 18 – Chris Froome
A três dias do fim do Tour, Froome segue com a camisa amarela. Ele terminou em quarto a Etapa 18, o último dia de montanha desse ano, sem dificuldades em responder aos ataques dos rivais. Warren Barguil da Sunweb, líder da competição do Rei da Montanha no Tour, venceu a etapa do Col d’Izoard, a terceira montanha mais alta a finalizar um Tour. Foi a segunda vitória de etapa do francês nesse Tour. Romain Bardet, da AG2R La Mondiale, terminou em terceiro e ganhou um bônus de 4 segundos, ficando em segundo lugar geral, 23 segundos atrás da camisa amarela. Rigoberto Uran, da Cannondale-Drapac, terminou em quinto, dois segundos atrás de Froome, e agora está em terceiro no geral, a 29 segundos do líder.

Etapa 17 – Chris Froome
Chegando em terceiro na etapa 17, Chris Froome segue com a camisa amarela. Froome conseguiu dar conta de vários ataques de Romain Bardet da AG2R La Mondiale no Col du Galibier, a montanha mais alta do Tour de 2017, e conseguiu pontos-bônus por conta do terceiro lugar. Rigoberto Uran, da Cannondale-Drapac, também seguiu os ataques de Bardet, e empatou com ele no segundo lugar geral, 27 segundos atrás de Froome. A etapa foi vencida por Primoz Roglic, da LottoNL-Jumbo, um ex-saltador de esqui, que está apresentando um belo currículo como ciclista profissional.

Etapa 16 – Chris Froome
Num dos dias mais cansativos do Tour, com ventos fortes dificultando desde o começo, foi duro para Froome manter a camisa amarela. A etapa foi vencida por Michael Matthews, da Sunweb, que numa fuga deixou para trás Edvald Boasson Hagen e John Degenkolb. A etapa termina com Froome, Fabio Aru, Romain Bardet e Rigoberto Uran separados por exatos 29 segundos.

Etapa 15 – Chris Froome
Froome precisou lidar com um pneu furado na maior subida do dia para manter a camisa amarela. Ele terminou no seleto grupo dos principais corredores da Etapa 15, que foi vencida por Bauke Mollema, da Trek-Segafredo. O intervalo entre Froome e seus principais competidores segue o mesmo: Fabio Aru da Astana está em segundo por 18 segundos, e Romain Bardet da AG2R La Mondiale, em terceiro, por 23 segundos. E para ilustrar como o Tour desse ano foi competitivo, a etapa terminou com Rigoberto Uran, da Cannondale-Drapac, só 29 segundos atrás do líder.

Etapa 14 – Chris Froome
Froome recuperou a camisa amarela do líder, ao terminar 24 segundos à frente de Fabio Aru, da Astana, na etapa de montanha que terminou em Rodez. Michael Matthews, da Sunweb, ganhou a etapa, emplacando a segunda vitória seguida da equipe depois da de Warren Barguil. A vitória de Froome foi estratégica, já que a Sky deslocou o ciclista à frente nos quilômetros finais, enquanto a Astana deixou Aru mais isolado e com dificuldade de manter sua posição – e de bater Froome nas próximas etapas.

O campeão italiano Fabio Aru liderou a prova por diversas etapas. Imagem: CHRIS GRAYTHEN/GETTY IMAGES

Etapa 13 – Fabio Aru
Por mais uma etapa, Fabio Aru manteve a camisa amarela. Apesar de ficar isolado por boa parte da etapa 13, Aru manteve sua vantagem de 6 segundos para Froome. Warren Barguil, do Team Sunweb, levou a vitória no feriado nacional francês da Queda da Bastilha. Apesar de Aru liderar o Tour, sua equipe perdeu dois dos seus corredores mais fortes nos últimos três dias, e a responsabilidade de defender a camisa amarela nas etapas de montanha ficou mais pesada. Enquanto isso a Sky, equipe de Froome, segue a mais forte do Tour.

Etapa 12 – Fabio Aru
Fabio Aru, da Astana, terminou essa etapa com a camisa amarela. O campeão nacional italiano terminou em segundo lugar a Etapa 12, nos Peyragudes, que foi vencida por Romain Bardet, bom escalador da AG2R La Mondiale. Froome, da Sky, começou o dia com a camisa amarela, mas vacilou na subida final. O três vezes campeão do Tour ficou atrás de Aru por 6 segundos. Em terceiro, Bardet tem só 25 segundos de diferença para chegar na camisa amarela.

Etapa 11 – Chris Froome
Outro dia de sprint, outro dia de camisa amarela para Froome. A etapa 11 foi vencida por Marcel Kittel da Quick-Step, fazendo o mesmo tempo de Froome.

Etapa 10 – Chris Froome
A etapa terminou com um sprint, o que é quase sinônimo de camisa amarela para Chris Froome. Com isso ele manteve a liderança no Tour, 18 segundos à frente de Aru e 51 segundos à frente do francês Romain Bardet.

Peter Sagan foi eliminado no começo do Tour, como penalidade por uma cotovelada que também tirou Fabian Cancellara da prova. Imagem: Geraind Thomas, da Sky, começou liderando nas primeiras etapas do Tour. Imagem Bryn Lennon/GETTY IMAGES

Etapa 9 – Chris Froome
Foi um dia dramático para Froome, que sofreu com um dia intenso de montanha para manter a camisa amarela de líder. Rigoberto Uran, da Cannondale-Drapac, venceu a etapa em  Chambéry, mas o britânico terminou em terceiro, ganhando 4 segundos de bônus de vantagem. Ele está liderando a Astana por 18 segundos e a AG2R La Mondiale por  51.

Etapa 8 – Chris Froome
Froome sobreviveu aos primeiros dois dias nas montanhas da cadeia Jura, mantendo a camisa amarela. Uma virada finalmente aconteceu com o francês Lilian Calmejane, de 24 anos, vencendo pela Direct Energie. Froome terminou 50 segundos atrás de Calmejane, mas manteve a camisa amarela, mesmo à custa de muita energia de sua equipe.

Etapa 7 – Chris Froome
Dia de sprint significa dia de camisa amarela para Chris Froome, que seguiu liderando o Tour de France desse ano, com 12 segundos de vantagem com relação ao colega de equipe Geraint Thomas e 14 segundos à frente de Fabio Aru, da Astana. O ciclista do Team Sky terminou à frente do pelotão no fim da etapa 7, o que rendeu a ele o mesmo tempo do vencedor do dia, o alemão Marcel Kittel.

Etapa 6 – Chris Froome
Chris Froome, da Sky, fechou a sexta etapa usando a camisa amarela do líder. Froome terminou bem no pelotão da etapa 6, que foi vencido por Marcel Kittel, da Quick-Step. Froome terminou 12 segundos à frente de Thomas, e 12 segundos à frente de Fabio Aru, da Astana.

Etapa 5 – Chris Froome
Três anos depois de Vincenzo Nibali se impor como campeão italiano, Fabio Aru, da Astana, foi sozinho em direção à vitória em La Planche des belles filles. No ranking geral, Geraint Thomas e Chris Froome trocaram de posição, e o tricampeão do tour recuperou a camisa amarela.

Geraind Thomas, da Sky, começou liderando nas primeiras etapas do Tour. Imagem cortesia de CHRIS GRAYTHEN/GETTY IMAGES

Etapa 4 – Geraint Thomas
Arnaud Démare venceu a quarta Etapa depois de deixar para trás Peter Sagan e Alexander Kristoff numa fuga em Vittel. Duas colisões no último quilômetro impediram alguns sprinters de disputar a vitória. Geraint Thomas manteve a camisa amarela pelo quarto dia consecutivo.

Etapa 3 – Geraint Thomas
Pela terceira vez, Geraint Thomas do Team Sky manteve a camisa amarela do líder do Tour de France. Ele terminou em oitavo a terceira etapa, só dois segundos atrás do vencedor, Peter Sagan, e manteve a camisa amarela por mais um dia. O dia terminou com Chris Froome, companheiro de equipe de Thomas, em segundo na colocação geral, apenas 12 segundos atrás do alemão.

Etapa 2 – Geraint Thomas
Geraint Thomas continuou com a camisa amarela, terminando tranquilamente no pelotão principal. Marcel Kittel ganhou 10 segundos de bônus ao vencer a etapa de Liège, ficando a apenas 6 segundos de Thomas.

Etapa 1 – Geraint Thomas
Geraint Thomas, da Team Sky, venceu a primeira etapa do Tour de France 2017 no quinto dia de corrida desde um acidente no Giro d’Italia, em maio. A primeira camisa amarela de Thomas veio ao bater o favorito Stefan Küng da BMC por 5 segundos, no contrarrelógio individual de 14km, sob chuva, e o seu colega de equipe Vassil Kiryienka por 7 segundos. O alemão Tony Martin, campeão mundial soberano no contrarrelógio, terminou em quinto. Thomas foi um dos colegas de equipe mais importantes de Chris Froome durante as três vitórias de Froome no Tour.

 

SHARE