Ciclismo: quem vai vencer o Giro d’Italia 2019?

Tudo o que você deve saber sobre a primeira Grande Volta do ano

(Foto: LUK BENIESGetty Images)
  • O Giro d’Italia de 2019 começa sábado, dia 11 de maio, em Bolonha.
  • Chris Froome venceu a  a Grande Volta italiana em 2018, mas não vai competir neste ano.
  • Os favoritos agora incluem os já campeões Tom Dumoulin e Vincenzo Nibali, bem como a estrela em ascensão, Primož Roglič.

Depois de um começo inédito em Jerusalém no ano passado, o Giro d’Italia retornará no sábado com um percurso mais convencional (mas notavelmente difícil) que fica quase inteiramente na Itália. A 102ª edição desta corrida, tida como a segunda mais importante do calendário (só atrás do Tour de France), terá início em Bolonha, com um contrarrelógio individual de 6 km, e terminará em Verona.

A seguir, tudo o que você deve saber sobre a primeira Grande Volta da temporada de ciclismo, juntamente com algumas previsões ousadas para quem pode ficar com a maglia rosa – a camisa rosa que indica o líder geral.

Quando

O Giro de 2019 começará no sábado, 11 de maio, e terminará no domingo, 2 de junho.

>> Os alimentos (estranhos) que os ciclistas adoram

Percurso

O Giro deste ano tem 21 etapas, num total de 3.5185 km, com três contrarrelógios individuais, sete finais em topo e seis dias bons para sprinters. Depois de um ITT no primeiro dia, em Bolonha, os ciclistas descem e atravessam a Península Itálica, depois voltam para a Costa Adriática antes de atravessar os Alpes Italianos, terminando com outro ITT em Verona. O ponto mais alto da corrida é o famoso Passo de Gavia, uma passagem de montanha pavimentada na etapa 16. Com a maior parte da escalada recuada aguardando a última semana, espere um final emocionante e dramático.

Como assistir

Todo o Giro d’Italia (assim como o Giro Rosa feminino) estarão disponíveis ao vivo e sob demanda via FloBikes. O site também oferece recapitulações diárias com cenas dos bastidores, entrevistas e perspectivas para as próximas etapas. A assinatura do FloBikes Pro custa US$ 30 por mês). No Brasil, o canal ESPN 2 faz transmissão ao vivo, com narração e comentários em português. A primeira etapa, dia 11 de maio, será transmitida a partir das 13h15min.

O que aconteceu no ano passado?

Depois de passar 13 dias com camisa rosa graças a vitórias e bônus de tempo nas primeiras duas semanas, Simon Yates, de Mitchelton-Scott, quebrou de forma espetacular na etapa 19. Foi então que Chris Froome, da Sky, acabou com a corrida em 8o km, protagonizando uma fuga solo do pelotão nos Alpes italianos.

Tom Dumoulin nada pode fazer quando Froome completou um hattrick histórico nas Grandes Voltas, depois de suas vitórias no Tour de France e Vuelta a España em 2017. No entanto, Froome não estará no Giro deste ano, preferindo se concentrar em ganhar um quinto título do Tour de France em julho.

Ciclistas do Giro d’Italia para você ficar ligado

Na ausência de Froome, dois ex-campeões vão liderar a lista de candidatos a levar o Giro deste ano: Dumoulin, que venceu em 2017, e Vincenzo Nibali, que conquistou o Giro em 2013 e 2016.

Dumoulin se beneficiará dos três contrarrelógios, especialmente na reta final em Verona. Ele ganhou seu primeiro Giro graças a um ITT semelhante no último dia, ultrapassando três rivais na classificação geral. Se ele puder ficar a um minuto dos melhores escaladores da corrida durante a semana montanhosa deste ano, ele poderá ultrapassá-los novamente para ganhar sua segunda vitória na geral.

No recente Tour dos Alpes, uma corrida montanhosa que muitos competidores do Giro a usam como o teste final, Nibali mostrou-se em grande forma. Um ciclista agressivo, ele certamente adoraria adicionar um terceiro Giro ao seu currículo, ao mesmo tempo em que aumentaria o seu valor para a próxima temporada.

E não podemos esquecer de Yates. O britânico aprendeu muitas lições difíceis no ano passado – lições que ele aplicou para ganhar a Vuelta a España 2018, em setembro. Ansioso para compensar a implosão dramática do ano passado no Giro, e apoiado com confiança após sua vitória na Espanha, ele é uma escolha fácil para pelo menos um dos três primeiros lugares.

Dito isto, o nosso favorito é Primož Roglič, um antigo esquiador de nível mundial que rapidamente subiu ao escalão superior no ciclismo. Depois de terminar em quarto na geral no Tour de France do ano passado, o esloveno voltou suas atenções para o Giro e venceu todas as três corridas que participou este ano: o Tour dos Emirados Árabes Unidos, a Tirreno-Adriático e a Romandie, na semana passada.

Um ciclista que pode escalar com Nibali e Yates, Roglič é um grande favorito para o Giro deste ano. Adoraríamos vê-lo levar o Giro dItalia desta temporada.