Rachão do Milão, o ciclismo com emoção — e premiação

A prova underground mais querida do Brasil aconteceu em dezembro, em São Paulo

(Fotos: Roberta Janaina Fotografia)

Aconteceu no dia 16 de dezembro a 3ª edição do Rachão do Milão, uma prova de ciclismo informal e emocionante que, em mais um ano, tomou conta das Marginais Pinheiros e Tietê. Desta vez foram 100 km, em um percurso montado entre o Jockey Clube de São Paulo e o Aeroporto de Guarulhos.

Como um prova que “bateu todos os recordes anteriores”, segundo o organizador Roberto Zanata, o Rachão atraiu 213 ciclistas. O pelotão principal demorou 1h59min para concluir a prova, que teve um acidente no sprint final – nada muito grave, no entanto.

O Campeão do Rachão do Milão

Salomão Ferreira foi o vencedor do 3º Rachão do Milão, seguido por Celso Anderson (2º colocado) e Fábio Almeida (3º). Em uma época em que o ciclismo de estrada profissional carece de competições e eventos de alto nível, capazes de fazer jus ao empenho desses atletas, o Rachão do Milão vai sendo cada vez mais reconhecido entre diversos amantes do ciclismo como “a prova mais emocionante do Brasil”.

Leia também: Competição de bike fixa na trilha

“Com apenas três anos de idade, estando apenas na terceira edição, o Rachão do Milão já é considerado um clássico do ciclismo nacional e com certeza esse título é almejado por todo ciclista”, escreveu o campeão, Salomão Ferreira, em seu Facebook.

Sem contar que os ciclistas adoram, porque é difícil encontrar uma prova que tenha premiação em dinheiro como o Rachão.

Separamos a seguir as melhores fotos registradas neste ano do Rachão do Milão.

E se você quiser saber mais sobre o Rachão do Milão, leia uma matéria publicada pela revista Go Outside em 2017 AQUI. E acesse a página da TV Zanata no Facebook  para ficar a par dos próximos eventos.