Três subidas que desafiam qualquer ciclista

Para qualquer ciclista de estrada, vencer essas escaladas é como realizar um grande sonho

Pelas montanhas da Colômbia (Foto: Getty Images)

As subidas, também conhecidas no ciclismo como “escaladas”, são os verdadeiros desafios de qualquer ciclista que se preze. E não importa o seu nível. É preciso, de uma vez por todas, vencer o medo de ir para cima e encarar as maiores e mais temidas subidas do ciclismo mundial. Além do mais, esses desafios a seguir também serão uma grande chance de você sair do país para conhecer lugares espetaculares a bordo de sua bicicleta.

Alto de Letras, subida de respeito “logo ali”

Onde: Colômbia
Distância: 80 km
Altimetria acumulada: 3.800 metros

Possivelmente a mais longa e dura subida do mundo para o ciclismo de estrada, Alto de Letras estranhamente não está entre as mais famosas pirambas do esporte. Mas aos poucos esse paraíso (ou inferno?) ciclístico vai atraindo a atenção dos mais corajosos. Prepare-se para enfrentar temperaturas que facilmente vão de 30⁰C (na base) a 5⁰C (no topo).

Leia também: Conheça a Croácia pedalando 

Mont Ventoux, escalada do Tour de France

Foto: Getty Images

Onde: França
Distância: 22,7 km
Altimetria acumulada: 1.622 metros

Muitos dizem – com razão – que o Mont Ventoux é uma das subidas mais duras do Tour de France (nem sempre é incluída na prova). Foi ali que, em 1967, o ciclista Tom Simpson morreu durante a competição, após uma escalada intensa. Ventos fortíssimos ricocheteiam os ciclistas que se aventuram a chegar ao seu cume árido.

Mortirolo, uma das mais temidas subidas

Foto: Tim de Waele/Corbis via Getty Images

Onde: Itália, nos Alpes
Distância: 12,8 km
Altimetria acumulada: 1.315 metros

Leia também: Encarando o Mortirolo

Não se deixe enganar pela distância “diminuta” do Mortirolo: essa é uma subida que dá arrepios de pavor até em ciclistas profissionais. Toda vez que o pelotão do Giro d’Italia precisa passar por ali, o desespero toma conta da galera. Isso tudo por causa da inclinação terrível ao longo da estrada, em trechos que chegam a bater 18% – se você não entende desse tipo de gradiente de inclinação, imagine uma parede quase vertical…