Veja o que aconteceu quando esse ciclista começou a tomar banho gelado

Duchas geladas podem te fazer um bem enorme - nós também duvidávamos, mas decidimos testar

Imagem: Shutterstock

Por NICK GREEN

MEUS MELHORES pensamentos acontecem no banho. Sempre que preciso pensar em algo desgastante, tomo uma ducha longa e gostosa. Era o que eu teria feito antes de sentar para escrever este texto. Entretanto não consegui, porque esta é uma reportagem sobre tomar banho frio, coisa que tenho experimentado desde a semana passada.

A água gelada costuma ser vista como um ato de tortura, algo enfrentado pelas pessoas em campos de treinamento militar ou até na prisão. Em um seriado que adoro, Seinfeld, o divertido personagem George Costanza diz que banho frio é “para psicóticos”, quando alguém lhe sugere que ele tome um. Bem, a expressão “balde de água fria” em si mesma é sinônimo de decepção. Apesar de tudo isso, há um movimento pequeno, mas forte, de pessoas exaltando os seus benefícios, e eles têm um bom respaldo científico para isso.

Há bastante tempo a água fria é usada por fisioterapeutas e atletas para tratamento de dor muscular. Outros pontos positivos no seu uso são o aumento da perda de peso e a pele mais bonita. Também existem evidências de que a água gelada auxilie na saúde mental. Um estudo publicado no periódico Medical Hypotheses sugere até que duchas frias possam ser usadas como tratamento para a depressão.

Ao tomar uma ducha fria pela manhã, estimula-se a produtividade, defende um artigo recente de um executivo do ramo financeiro que li no New York Times. A ideia é que enfrentar um desafio logo cedo o prepara para o sucesso ao longo do dia. Ironicamente, todas essas evidências me convencem de uma coisa: duchas quentes são demais. Afinal, que outra explicação existe para o fato de quase todo mundo preferi-las, apesar de haver montanhas de provas sobre as maravilhas dos banhos frios?

Passei minha vida toda testando os benefícios dos banhos quentes, portanto sei que são muitos. Chegou a hora de eu conferir o que as duchas frias têm a oferecer. Decidi tomar uma todas as manhãs durante uma semana inteira. Para ser mais específico, tomei uma ducha fria de dois minutos no fim de um banho normal muito curto (30 segundos mais ou menos). Eis aqui o que aconteceu.

>> FIQUEI SUPERFOCADO Durante meu primeiro banho frio, comecei a contar dois minutos mentalmente, mas a cascata de água gelada rapidamente me desviou para a contagem dos segundos passando. Se banhos quentes me levam a um estado profundo de pensamento, uma ducha fria pega meu cérebro pelo colarinho e o arremessa em um lago gelado.

Quando você começa a tomar um banho frio, é impossível pensar em outra coisa além de “estou tomando um banho frio”. Aqueles 15 segundos iniciais parecem uma eternidade. Mas, à medida que você se acostuma a ser ensopado por água gelada, algo interessante começa a acontecer: passo a me focar em algumas habilidades humanas bem básicas, diria até elementares.

Meus ombros estão tensos, pensei. Eles têm que estar? Relaxei-os, soltando os feixes de músculos contraídos. Estou respirando rápido e com dificuldade. É necessário? Minhas respirações ficaram profundas e lentas. Eu me senti calmo – com frio, mas calmo.

>> FIQUEI MOTIVADO Depois do que acho terem sido dois minutos, desliguei o chuveiro e me preparei para começar o meu dia. Quando digo “me preparei”, falo sério. Sentei e escrevi uma lista de tarefas durante o café da manhã. Estava me sentido muito bem, produtivo. Demorou só dois minutos, mas me tornei fã de banhos frios.

>> PRECISEI DE MUITA FORÇA DE VONTADE O dia seguinte foi mais ou menos a mesma coisa, porém notei que fiquei mais apreensivo quando se aproximava a hora de entrar no banho. Isso continuou ao longo das manhãs seguintes. Se eu sabia que aquilo iria me fazer bem, por que não me jogava logo embaixo do jato gelado?

A experiência me lembrou de um velho ditado popular, já atribuído a uma porção de autores: “Não gosto de escrever. Gosto de ter escrito”. Não aprecio tomar banhos frios, apenas gosto de como me sinto depois que já me sequei. Bom, a semana foi um sucesso e prometi a mim mesmo que vou continuar tomando banhos frios de manhã. Não será nada fácil. Quero dizer, como abandonar os deliciosos banhos quentes? Eles são incríveis.

*Matéria publicada originalmente na edição 10 da Bicycling, de maio/junho de 2017

COMPARTILHAR