6 dicas para você se manter motivado no pedal em qualquer idade

Katerina Nash, 41, a ciclista mais velha da Copa do Mundo de Ciclocross, revela seus segredos

motivado
Katerina depois da corrida em Waterloo (Foto: Molly Hurdford)

5 dicas para você se manter motivado no pedal, em qualquer idade: Aos 41 anos, Katerina Nash é uma das ciclistas off-road mais vitoriosas do mundo. Ela já esteve nas Olimpíadas por cinco vezes – desde os 18 anos de idade, nos Jogos de Atlanta de 1996, até os Jogos de 2016, no Rio -, subiu em vários pódios em mundiais e ganhou dezenas de corridas de ciclocross, mountain bike e copas do mundo de ciclocross em suas duas décadas competindo.

Mas a ciclista natural da República Tcheca, que atualmente mora nos Estados Unidos, continua acumulando vitórias, muitas vezes vencendo competidoras bem mais jovens que ela.

Como quando ela alinhou na linha de largada nas primeiras etapas da Copa do Mundo de ciclocross da temporada, em Iowa City, Iowa, em 14 de setembro, e Waterloo, Wisconsin, em 22 de setembro – ambas nos Estados Unidos.

>> Uma mensagem poderosa sobre igualdade de gênero

Ela terminou em segundo em Iowa, mas em Waterloo conquistou a vitória, chegando ao topo do pódio ao lado da segunda colocada, Jolanda Neff, de 26 anos, e Evie Richards, de 22.

“Eu queria estar nessas primeiras etapas da Copa do Mundo para ajudar a fortalecer as corridas que chegavam aos EUA, mas não tinha muito plano para a temporada”, diz ela. “Se você me perguntasse antes da temporada se queria ganhar outra Copa do Mundo, eu diria que as chances são pequenas. Mas agora que fiz isso, mal posso esperar para ir além.”

Então, como Nash continua ganhando? A Bicycling falou com ela após a sua última vitória e convenceu-a a contar seus segredos. A seguir, o que ela disse:

Foque no prêmio

Ao olhar para a sua agenda de corridas do ano, Nash originalmente não estava prestando muita atenção à Copa do Mundo em Waterloo. Mas, depois de terminar em segundo lugar em Jingle Cross, ela sabia que tinha tudo para ganhar mais uma Copa do Mundo.

Aceite que você cometerá erros

Por causa de condições lamacentas , ficou claro desde o início que havia muitos erros a serem cometidos no percurso – não apenas de Nash, mas também de outras ciclistas.

“Cometi todos os erros possíveis nesta corrida: caí na primeira e na última voltas. O bom do ciclocross e do mountain bike é que você tem tempo para corrigir seus erros se não se assustar e nem se intimidar com eles.”

Use a experiência

Nash permite que sua experiência trabalhe a seu favor enquanto ela compete contra as mais jovens.

“Se eu puder usar o que aprendi em 16 anos de ciclocross e mais de 20 anos em competições, vou usar isso para o meu bem”, diz ela.

“Para mim, sempre foi sobre consistência de treinamento. Treino o ano inteiro, treino de forma constante, e não fico muitas semanas sem folga. Eu tento permanecer o mais consistente possível ”, revela.

Concentre-se na sua saúde, não no peso

Embora todas as atletas precisem encontrar o peso “certo”, Nash reconheceu que ela tinha que ficar com um que não era apenas benéfico para as corridas, mas a ajudava a viver uma vida saudável.

“Muitas competidoras estão dispostas a sacrificar sua saúde para obter grandes resultados”, diz ela. “Acho que foi isso que me ajudou a permanecer no esporte por tanto tempo e não ter que ficar lutando contra as lesões. Gosto tanto das corridas que sabia que precisava encontrar um bom equilíbrio para poder permanecer nelas, me divertir e me manter saudável. Saúde é sempre melhor a longo prazo e te ajuda a manter-se motivado.”

Seja moderado para se manter motivado

Enquanto Nash faz uma dieta saudável e equilibrada com muitos alimentos frescos e não processados, ela faz questão de deixar espaço para as coisas divertidas — e não se estressar com isso.

“Gosto muito de tomar uma taça de vinho. Gosto de fazer isso viajando com os amigos – faz parte da minha dieta ”, diz ela. “Como coisas que gosto, mas não tenho muitos maus hábitos alimentares. Adoro alimentos saudáveis ​​e, na Califórnia, temos frutas e vegetais frescos disponíveis o ano todo. Onde eu cresci, na Europa Oriental, tínhamos maçãs secas como a nossa única fruta em fevereiro, por exemplo. Então, agora, se eu posso comprar mirtilos todos os dias e isso é ótimo. ”

Ame seu esporte

Na verdade, Nash nunca assinou um contrato para o ciclocross – sua equipe sempre adicionava essa modalidade porque ela queria, e não porque precisava. Para ela, amar o esporte que você faz é fundamental para estar sempre motivado.

“Há algo sobre o circuito de ciclocross que eu amo. Ocasionalmente, eu gostaria de poder ter uma entressafra e não arrumar minhas coisas e ir para a Europa competir, que é o que eu acabo fazendo. “Acho que não sou normal, mas culpo o ciclocross por isso!”