Como o suco de beterraba pode te tornar um ciclista mais rápido e forte

Por Selene Yeager, da Bicycling USA

Há tempos eu escrevo sobre os benefícios da beterraba, sem esconder minha adoração por esse alimento rico em nitrato que tanto me dá força em cima da bike. A ciência, enfim, está comprovando que meu amor não era à toa: segundo pesquisas, suco de beterraba contribui para baixar a pressão sanguínea, ajudando a tornar mais fáceis aqueles treinos pesados (já que o coração não precisa trabalhar tanto para bombear o sangue que você necessita).

Um estudo relevante mostrou que ciclistas que beberam altas doses de suco concentrado de beterraba usaram cerca de 3% menos oxigênio durante a bateria de exercícios a que foram submetidos, em relação àqueles que tomaram uma bebida placebo. Resumindo: os ciclistas utilizaram menos energia para pedalar no mesmo ritmo.

+ 10 alimentos para ganhar músculos
+ A verdade sobre a Spirulina: investigamos este “superalimento”

Mas depois a beterraba saiu dos holofotes após outros estudos apontarem que a planta de colo tuberizado não trazia benefícios reais para atletas altamente condicionados. Uma dessas pesquisas, especificamente, foi feita com triatletas, que beberam cerca de uma xícara de suco de beterraba duas horas e meia antes de um contrarrelógio de 30 minutos. Os atletas não mostraram nenhuma melhora na performance em comparação aos que tinham ingerido suco de beterraba do qual os cientistas haviam tirado o nitrato.

E era o nitrato que aparentemente se revelou a chave dessa questão toda. Nosso corpo converte nitrato em nitrito e depois em óxido nítrico, que promove vasodilatação – alargando os vasos sanguíneos e baixando a pressão. Para pessoas não treinadas ou moderadamente condicionadas, esse nitrato extra da beterraba parece trazer de fato benefícios na performance. Entretanto atletas super condicionados já produzem naturalmente amplas quantidades de óxido nítrico como consequência da adaptação aos treinos. Então o nitrato da beterraba nem provocaria mudanças significativas.

Recentemente novas pesquisas me trouxeram alívio e a sensação de que eu sempre estive do lado certo ao defender a beterraba para quem faz esporte regularmente. Um estudo descobriu que atletas bem condicionados só precisam de doses maiores para conseguir os mesmos efeitos (o que, intuitivamente, já faço ao comer beterraba vários dias na semana e ainda acrescentar suplementação antes de provas).

+ Conheça 7 benefícios do vinho para tomar sem culpa
+ O mel é melhor que o açúcar?

Nesse estudo, pesquisadores da Universidade de Aalborg, na Dinamarca, fizeram com que ciclistas de alta performance encarassem uma bateria de testes. Primeiro cada voluntário bebeu duas doses de suco concentrado de beterraba (o suficiente para conseguir 12 mmol, ou o dobro da dosagem usual) por uma semana e depois pedalou dois contrarrelógios de 10 km – em um usando uma máscara que simulava as condições no nível do mar; no outro a máscara simulava uma altitude de 2.400 metros (já que algumas pesquisas sempre indicaram que o suco de beterraba traz mais benefícios em situações de menor taxa de oxigênio, como em altitudes elevadas). Depois os voluntários tomaram duas doses do suco só que sem os nitratos, durante sete dias, e fizeram os mesmos contrarrelógios.

A potência média dos ciclistas melhorou em cerca de cinco watts, e eles terminaram os 10 km 1,6% mais rápido após uma semana tomando suco de beterraba completo com os nitratos, quando comparados aos que beberam a outra versão – isso tanto no nível do mar quanto em altitude.

Os autores concluíram que essas descobertas mostram uma sólida evidência de que “suplementação contínua de altas doses de NO3 melhora a performance de ciclistas condicionados e bem treinados”, seja em condições ricas ou mais pobres em oxigênio.

Você precisaria comer cerca de uma dúzia de beterrabas por dia para conseguir as tais doses duplas, o que não é exatamente uma boa ideia para seu estômago ou sua saúde em geral. Nesse caso, a suplementação pode ser uma saída: já existem marcas (como a norte-americana BeetElite) que oferecem elevadas quantidades de nitrato de beterraba. É um jeito prático – apesar de não ser 100% natural, como comer a planta – de checar se você consegue pedalar mais rápido dessa maneira.