O cardápio vegetariano de uma ciclista extraordinária

Recentemente, Amity Rockwell ganhou o Dirty Kanza 200 comendo apenas vegetais – orgânicos, claro!

Amity felizona depois de se consagrar na Dirty Kanza (Foto: Bell Bike Helmets via Facebook)

O cardápio vegetariano de uma ciclista extraordinária: Todos nós que pedalamos ou praticamos alguma esporte já sabemos que é possível ser um atleta de alto nível comendo apenas vegetais – por mais que alguns admitam que jamais conseguiriam viver sem a carne no prato.

Exemplos não faltam: em 2018, o vegetariano alemão Patrick Lange bateu o recorde mundial do Ironman Havaí. Rich Roll, outro triatleta, também parece não se cansar de divulgar os benefícios de uma dieta somente à base de vegetais.

Mais recentemente, Amity Rockwell, campeã da dura competição de gravel (ou cascalho) Dirty Kanza 200 (um desafio de 320 km), deu mais um exemplo de que um cardápio vegetariano pode nos dar superpoderes.

A barista de 26 anos, natural de São Francisco, Califórnia, pedala competitivamente há apenas três anos e meio, e ainda nem se considera uma ciclista profissional.

“Ganhar a Dirty Kanza era um sonho absurdo”, disse Amity. “A resposta da comunidade, tanto de amigos de longa data quanto de pessoas novas para mim, tem sido avassaladora e motivadora.”

View this post on Instagram

Disbelief. Delirium. Happiness. I’ve lived this moment countless times over and the chills come back so easily. It would feel major regardless of who cheered or who helped push me forward, but so much credit needs to be given to the town of Emporia. I’ve never experienced so many people care so much about a bike race, and it makes me emotional, coming down the chute on main street to the screams and barrier slapping and expressions of unbridled stoke. It gives me a small glimmer of hope for what the future of cycling can be, if we take the time to connect to place and community and the individuals who comprise it. It’s why I came back after a hell of a time last year, and why I can say with confidence my story out there is far from over. Thanks, Emporia 🥰 /. 📷 @photowil

A post shared by Amity (@amityvil) on

Amity não gosta de se sentir na obrigação de nada, seja para seguir um programa de treinamento ou um plano de nutrição.

>> Tudo o que você sempre quis saber sobre a spirulina

E quando se trata de escolher a comida, ela garante que “alimentos frescos e variados são fundamentais”. “Nem todas as minhas refeições são perfeitamente equilibradas, mas eu sinto que se eu focar o suficiente, tudo vai ficar bem no final”, completa Amity, que sempre foi vegetariana e também manda bem na cozinha.

“Eu sempre amei cozinhar e vejo isso como uma importante saída criativa, além de ser um momento para relaxar”, conta.

Ela compra a maior parte de seus alimentos de um fazendeiro na rua de sua casa – para onde ela vai de bicicleta, naturalmente – e os transforma em refeições saudáveis ​​durante o dia para se alimentar e se recuperar dos duros pedais.

A seguir, ela descreve um pouco de seu cardápio vegetariano.

Café em primeiro lugar

Não consigo nem pensar em comida até tomar um café, o que, graças ao meu outro trabalho, tenho a tendência de ser super particular. Eu escolho cafés que são torrados localmente, como o Pacific Crest Coffee, aqui de Truckee, e eu me certifico de que os grãos são originados de forma responsável.

Variedade é chave de um cardápio vegetariano

Eu gosto de variar o meu café da manhã frequentemente, para ficar animada. Minha única constante é que sempre começo com frutas: uma banana, ou frutas silvestres e frutas de caroço quando estão na estação. Em dias de treinamento mais longos, quando eu sei que vou ficar fora por mais de seis horas, eu gosto de aveia e algum outro grão, como trigo-sarraceno ou farro, o que o torna mais saboroso e aumenta a variedade de nutrientes. Eu encho a tigela com frutas frescas e sementes de cânhamo, que eu coloco basicamente em tudo.

Almoço no selim

Durante vários dias, pode ser uma mistura de GU Stroopwafels, géis de energia, Lärabars e doces que eu posso pegar em padarias ao longo do caminho. Se eu parar para pegar algum assado, tento me certificar de que é integral – isso é tanto para minha preferência de gosto quanto para uma decisão de saúde – exceto aquele biscoito ocasional.

Se eu tiver tempo de manhã, vou fazer um sanduíche de manteiga de amêndoa para levar junto comigo, ou sobras de waffles ou panquecas.

Obcecada por avocado

Como uma verdadeira californiana, sou obcecada por abacate e avocado. Na torrada, ou puro, que seja. Eu provavelmente como em média um por dia, pelo menos. Eu acho que a boa gordura ajuda me manter satisfeita e me dá energia naqueles dias de treinamento de resistência. Eu também os amo no café da manhã, no jantar, nos lanches… Sempre.

Jantares frescos do jardim

Eu gosto de preparar legumes em qualquer refeição, e em seguida planejar carboidratos e proteínas em torno deles. Para mim, um prato balanceado inclui um vegetal cru, um vegetal cozido e um grão ou amido, além de uma proteína. Um jantar comum para mim é uma salada de couve e rúcula com beterraba assada e farro, polvilhado com sementes de abóbora e levedura. Ou uma tigela de arroz integral com batata-doce assada, feijão preto ou lentilha, avocado e uma salada de cenoura.

Sempre acreditei que as melhores refeições são preparadas com ingredientes de alta qualidade, permitindo que brilhem. Tenho a sorte de morar em um lugar onde você pode comprar nos mercados de fazendeiros produtos da estação sem embalagens e recém-colhidos, muitas vezes dos próprios agricultores. No verão, eu também gosto de cultivar as coisas, como tomates-cereja, manjericão e abobrinha.

Escute os seus desejos

Eu como alguns quadrados – ah, metade de uma barra – de chocolate escuro na maioria das noites, com uma xícara de chá de ervas. Se eu precisar de algo mais, eu como iogurte natural com baunilha e uvas congeladas. Eu acho que é importante ouvir os seus desejos – se você come com intenção, qualquer coisa com moderação é ótimo. Alimentos devem ser apreciados.