Pan 2019: MTB brasileiro sobe no pódio no feminino e no masculino

Jaqueline Mourão foi bronze; Henrique Avancini peitou o azar para ficar com a prata

Pan 2019
Jaqueline Mourão testa a pista de MTB do Pan - foto via Instagram

Mountain bike no Pan 2019: Apesar da falta de sorte de Henrique Avancini, o MTB cross-country brasileiro subiu ao pódio nas disputas do masculino e feminino nos Jogos Pan-Americanos 2019, que está sendo disputado em Lima, Peru. Avancini ficou com a prata, e a brasileira Jaqueline Mourão, de 43 anos, com a bronze entre as mulheres.

>> Corte de verba pode deixar ciclista brasileira fora de Tóquio 2020

Primeiro foi a vez de Jaqueline, que já participou de ambas as olimpíadas — de verão (no mountain bike) e de inverno (no biathlon) — brilhar. A mineira afirmou que foi um momento de superação para recontar uma história mal escrita no passado. Em 2007, no Pan do Rio, ela ficou fora do pódio por apenas uma colocação. Agora, em Lima, Jaqueline foi bronze, atrás somente da mexicana Daniela Campuzando (ouro) e da argentina Sofia Villafañe (prata).

No ano passado, Jaque protagonizou um retorno triufal ao esporte, tornando-se campeão brasileira de MTB na categoria elite e competindo, aos 42 anos, contra atletas da nova geração, bem mais novas do que ela.

Henrique Avancini estava em um dia de azar. Logo depois da largada, o cabo da trava da suspensão arrebentou, e ele teve que assimilar os impactos do percurso nos próprios braços, porque a suspensão parou de responder. E no meio da prova ele ainda teve um pneu furado, perdendo preciosos minutos que lhe custaram a medalha de ouro.

Mas ele já está de olho no futuro, para garantir e melhorar seu terceiro lugar no ranking mundial.  “Nada a reclamar ou lamentar”, escreveu o brasileiro em um post no Instagram. Guilherme Gotardelo, outro brasileiro na disputa, terminou em quinto.

View this post on Instagram

Jogos Pan-Americanos concluídos. Alguns segundos após a largada, arrebentei o cado da trava de suspensão. Primeiro desafio do dia, pilotar decentemente e segurar as pancadas no braço. No meio da prova furei o pneu traseiro alguns metros após a área de apoio mecânico. Meia volta no aro até trocar e seguir. Recuperei até alcançar a medalha de prata porém ainda muito distante do mexicano Ulloa que fez uma corrida impecável e mereceu a vitória. Dentro das circunstâncias, a medalha de prata foi o máximo alcançável. Nada a reclamar ou lamentar. Tudo parte do contexto. Obrigado @timebrasil pelo tratamento e planejamento do melhor nível. . . Pan Am Games done. Silver medal in the end after snapping the suspension cable after the start and a flat tire mid race just after the tech zone. Had a decent shape for this race but a 2nd place was the maximum under the circunstantes. Nothing to complain or regret. Felicitationes a Mexico y a Ulloa @ulloagerardo por el dia dorado! 📷 Time Brasil #Lima2019 #BrasilnoPan

A post shared by Henrique Avancini (@avancinimtb) on