Pele ressecada, nunca mais! Aprenda como

O ressecamento, além de desagradável ao tato, pode causar inflamações

Pele ressecada
(Getty Images)

Pele ressecada, nunca mais! Consequência comum e nada bem-vinda em dias frios ou secos é o ressecamento da pele. “Em geral, os membros inferiores tendem a ser naturalmente mais ressecados do que a face, o tronco e as costas. Para piorar, muita gente toma banho quente demais e não usa hidratante depois”, explica Eliandre Palermo, presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia na regional São Paulo.

O ressecamento, além de desagradável ao tato, pode gerar de foliculites com coceira e inflamação a pequenas pústulas. Quem pedala também deve ficar atendo às áreas foto expostas do corpo, que pegam vento, sol e frio. “Lábio, face, pálpebra e mãos causando rachaduras”, descreve a dermatologista.

>> Você tem dado a devida atenção aos seus glúteos?

Use hidratante labial com filtro solar, de preferência produtos à base de lanolina, que tem forte função regeneradora. Eliandre lembra que superfícies como água e neve refletem a radiação, um motivo extra para você caprichar no protetor solar mesmo no inverno e em dias nublados. “O protetor deve ter fator UVA alto. Ele que vai garantir melhor proteção que o UVB. É recomendado pelo menos acima de FPS 15”, explica.

Xô, pele ressecada

O pulo do gato no inverno é escolher um produto com poder de hidratação maior. Um creme, por exemplo, cuidará melhor da pele do que um protetor solar em formato gel ou oil free. “E não vamos esquecer as roupas: hoje existem tecidos tecnológicos maravilhosos que protegem da radiação nociva.”

Por fim, vale estender os cuidados à cabeleira: a gente pula mais as lavagens de cabelo, o que pode aumentar a dermatite seborreica; por outro lado, água muito quente tira toda a oleosidade, e o couro cabeludo dá um “rebote” para se proteger. Apesar da tentação de um banho “pelando” depois de um pedal gelado, a moderação na temperatura da água vai garantir como prêmio uma pele mais saudável e bonita.