Pressão alta durante o exercício pode ser normal

Por Jordan Smith, Bicycling US - Adaptado por Fernanda Rosa

Foto Shutterstock

Muitas vezes, a pressão alta pode indicar problemas cardíacos. Mas o mesmo se aplica quando a pressão arterial aumenta durante uma pedalada ou outra atividade física?

Para responder a essa pergunta, os pesquisadores de Universidade de Stanford (EUA) analisaram 7.500 pessoas, durante testes de estresse realizados em repouso e no pico do exercício. Os dados foram coletados ao longo de 20 anos e comparados com as taxas de mortalidade.

O estudo, publicado no European Journal of Preventive Cardiology, descobriu que a pressão alta sistólica durante o exercício pode não ser indício de risco de doença cardíaca. Foram levadas em consideração a carga e a intensidade das atividades.

5 MELHORES BEBIDAS ALCOÓLICAS ​​PARA CICLISTAS
11 ALIMENTOS QUE AJUDAM A PREVENIR O CÂNCER DE PRÓSTATA
COMO É A TERAPIA DE FLUTUAÇÃO, QUE PROMETE RELAXAR, RECUPERAR E AJUDAR NA PERFORMANCE
 
As diretrizes atuais da American Heart Association definem um limite alto de pressão sistólica durante o exercício. Para os homens máximo é de 210 mmHg e 190 mmHg para mulheres.

Esses níveis elevados de são freqüentemente interpretados como risco de doença cardíaca.

No entanto, no estudo, os pesquisadores descobriram que, quanto maior o pico de pressão arterial sistólica durante o teste em esteira, melhor o prognóstico de saúde do indivíduo. Ou seja, as pessoas pesquisadas que atingem um valor mais alto viveram mais do que aquelas com pressão baixa no pico do exercício.

Por quê?

Fisiologicamente, a pressão arterial sistólica se eleva de acordo com o aumento da carga de trabalho. “Como uma corrida ou um teste de estresse em bicicleta”, disse Kristofer Hedman, médico da Universidade de Linkoping, na Suécia.

Pessoas com ótimo condicionamento físico — o que é relacionado a taxas mais longas de vida — geralmente conseguem aguentar atividades físicas mais intensas, o que por sua vez eleva a naturalmente os batimentos cardíacos.

Alcançar altas cargas de trabalho também significa uma leitura de pressão alta bem acima dos limites atuais, no pico do exercício. Principalmente em atletas bem treinados.

Por outro lado, obviamente, a pressão alta sozinha não significa melhor condicionamento físico.

Isso mostra que é importante que os médicos levem em consideração a carga de trabalho. E não apenas olhar para a leitura da pressão arterial ao interpretar resultados de testes como o de estresse.

A pressão alta em uma pessoa fazendo exercício intenso não é tão preocupante. Já um nível de alto em uma pessoa que se exercita em baixa intensidade, como uma pedalada leve.

“Uma contribuição valiosa do nosso trabalho é que conseguimos mostrar o quão é importante analisar também a carga de intensidade da atividade”, diz Kristofer. “Isso é amplamente negligenciado hoje.”