Você já ficou frustrado (a) por não chegar ao Top 10 de um segmento do Strava? Você já parou para pensar se você se esforça além da conta só para conquistar KoMs? De acordo com um novo estudo da Universidade Nacional da Irlanda, isso pode ocorrer porque usuários do Strava correm o risco de desenvolver ‘comportamentos obsessivos’.

A pesquisa entrevistou 274 ciclistas e descobriu que, embora os aplicativos de treinamento como o Strava fossem ótimos para acompanhar os regimes de treinamento, isso também poderia impactar negativamente a saúde mental dos ciclistas.

A maioria dos praticantes de exercícios agora está usando a tecnologia digital para rastrear e compartilhar seus dados, a fim de apoiar suas metas de condicionamento físico. Mas, de acordo com o professor por trás da pesquisa, Dr. Eoin Whelan, aplicativos como o Strava podem ter um efeito perverso e causar ‘esgotamento’.

+ 10 metas para você ser um ciclista ainda mais feliz em 2020
+ 3 smart wathes para te ajudar a pedalar

“Nosso estudo sugere que aplicativos de compartilhamento de fitness certamente podem ajudar a semear e sustentar rotinas de exercícios, mas existe o perigo de que alguns usuários desenvolvam tendências obsessivas, que precisam ser evitadas”, explicou o Dr. Whelan.

Pesquisadores descobriram que aplicativos como Strava, Nike +, MyFitnessPal, RunKeeper e Fitocracy são ‘gamificados’ para fornecer recompensas e incentivar os usuários a acompanharem seus exercícios.

O estudo constatou que aqueles que usam os aplicativos para reconhecimento social, isto é, apenas para receber elogios, são mais propensos a desenvolver uma paixão obsessiva pelo ciclismo e a sofrer níveis mais altos de estresse.

Mas, por outro lado, usuários que utilizam o aplicativo para a apoiar e incentivar outros ciclistas, ajudam a fortalecer o esporte, o que é positivo, segundo a pesquisa.

O estudo completo, ‘How the social dimension of fitness apps can enhance and undermine wellbeing’, foi publicado na revista Information Technology & People.